Fisioterapia x Alteração Neurológica






A reabilitação após o AVC significa ajudar o paciente a usar plenamente toda sua capacidade, a reassumir sua vida anterior adaptando-se a sua atual situação.

O fisioterapeuta irá ajudar o paciente a entender o que lhe aconteceu e a responder eficientemente à medida que o mesmo tente se adaptar.

O fisioterapeuta começará por atividades de mobilidade. Estas atividades o fará libertar-se de "medos" e "inseguranças" causados pelo desequilíbrio corporal. Serão realizados exercícios de fortalecimento e alongamento muscular, treino de equilíbrio e estímulos da sensibilidade.

Muitas atividades fisioterapêuticas que começaram durante o início da recuperação, são apropriadamente modificadas para desafiar e fazer com que o paciente possa progredir até sua recuperação. Serão enfatizadas combinações motoras que permitem a concretização das tarefas alimentares, higiênicas, locomoção e outras tarefas funcionais.


PROGRAMA FISIOTERAPÊUTICO

Diariamente, o pacientes deverá passar de três a cinco períodos com seu fisioterapeuta:

1)Sessão individual para exercitar os membros atingidos
(alongamentos), manter articulações livres (mobilização), treino de equilíbrio na posição sentada.

2) Uma classe de ginástica, na qual o paciente aprende a mover novamente o corpo.

3) Um período de exercícios de resistência para fortalecimento muscular.

4) Uma classe ambulante, para treinar a marcha.

5) Atividades de classe de vida diária, na qual ele aprende a mexer-se, deitar-se, levantar-se.


O que ocorre bastante e é difícil de aceitar pelo paciente e também pela família, é a lentidão do processo. É claro que o tempo e o grau de desempenho estão relacionados com o grau do AVC, com a personalidade do paciente, a presença e a gravidade de depressão e muitos outros fatores que podem ser descritos como reabilitação física.

Mas a reabilitação total significa mais do que independência de andar e cuidar de si. Significa a retomada pelo paciente do gosto e do desejo de viver.


REABILITAÇÃO


Durante o início da recuperação objetivamos principalmente

- minimizar os efeitos das anormalidades de tônus;
- manter uma ADM normal e impedir deformidades;
- melhorar as funções respiratórias e motoras;
- mobilizar o paciente nas atividades funcionais iniciais envolvendo mobilidade no leito, o ato de sentar, transferências...;
- impedir o descondicionamento;
- promover a conscientização corporal, movimentação ativa e uso do lado hemi;
- melhorar controle de tronco e equilíbrio na posição sentada;
- iniciar as atividades de cuidados pessoais.


A reabilitação consiste na aplicação de um programa planejado, através do qual a pessoa incapacitada, ou convalescente, mantém ou progride para o maior grau de independência física e psíquica de que é capaz. Para entender em que consistem as medidas de reabilitação do paciente hemiplégico, é preciso, compreender o que aconteceu com ele em termos da deficiência física que ele pode ser obrigado a enfrentar. E se quisermos compreender a deficiência física causada pelo AVC, assim como a melhor maneira de ajudar o paciente, teremos primeiramente de entender alguns fatos simples a respeito dos movimentos e do movimento voluntário normal de que goza o ser humano saudável, sem mesmo dar-se conta.



POSICIONAMENTOS DO PACIENTE

1 - Inicialmente, é preciso considerar o lado afetado do paciente como sendo tão incapaz como uma criança recém-nascida. Por conseguinte, não podemos esperar que ele apresente movimentos controlados e voluntários normais, no lado afetado; o seu equilíbrio estará prejudicado.

2 - O espasmo acabará aparecendo, por maior que seja a flacidez apresentada por seus membros imediatamente após o acidente vascular. Se isto não for evitado colocará um ponto final nas tentativas de reabilitação, e todo o programa de fisioterapia resultará em fracasso.

3 - O paciente pode apresentar certo grau de deficiências sensoriais, resultando em deficiências motoras, já que todos os movimentos controlados representam uma resposta direta às mensagens transmitidas pelos órgãos dos sentidos.


O paciente com AVC precisa ter sempre um posicionamento correto, prevenindo a espasticidade. A posição deverá ser a anti-espástica ou de recuperação.

- Pronação do ombro com rotação externa;
- Extensão do antebraço ( não total , discreto grau de flexão ) ;
- Extensão digital com abdução;
- Protração de pelve com rotação interna da perna;
- Flexão de quadril , joelho e tornozelo .


Devemos manter o paciente em algumas posições:

- Decúbito dorsal ;
- Decúbito lateral sobre o lado são;
- Decúbito lateral sobre o lado afetado;
- Posição de ponte.


Podemos realizar exercícios passivos de todas as articulações do membro
superior afetado se este tem hemiplegia . Se o déficit afetado é uma hemiparesia, poderemos fazer exercício ativo assistido ou ativo , na medida do possível .

- Elevação dos braços com os dedos entrelaçados;
- Movimentos para o ombro afetado principalmente;
- No membro inferior afetado: extensão completa de quadril;
- Exercício rotação de tronco;
- Rotação terminando no apoio de cotovelo afetado;
- Rotação para a posição sentada na beira do leito;
- Treinamento de equilíbrio em paciente sentado;
- Transferência da cama para a cadeira.


TÉCNICAS DE REABILITAÇÃO MOTORA

Objetivo de qualquer programa de exercício terapêutico é a aquisição de movimento e função livres de sintomas.

* Conhecimento: dos princípios e resultados básicos do tratamento;
* Estar apto para uma avaliação funcional;
* Conhecimento das inter-relações de anatomia e cinesiologia de cada parte;
* Grau de debilidade do paciente e o grau de recuperação, complicações, precauções e contra-indicações.


Cinesioterapia ou Exercícios Terapêuticos

Amplitude de movimento, alongamento, exercícios resistidos (Fortalecimento), mobilização articular.


Mecanoterapia

É o uso de aparelhos ou dispositivos mecânicos com fins terapêuticos. – fortalecer e mobilizar articulações
Ex: Halteres, manilhas, Thera-band, escada de Ling, medicine Ball, master cooper, mesa de Kanavel, roda de ombro, escada de dedos, entre outros


Termoterapia

Uso de calor como forma de tratamento – idade média se utilizava do calor como forma de tratamento. Efeitos fisiológicos: antiinflamatórios, analgésico, relaxamento muscular. A vasodilatação, aumenta o fluxo sangüíneo, melhora o aporte de sangue.

Formas de aplicação: compressa, bolsa, infravermelho, ultravioleta, forno de Bier, banhos de parafina, entre outros.


Eletroterapia

Utiliza como base de tratamento a corrente elétrica, que é o fluxo ordenado de elétrons. Para que este fluxo aconteça é necessário um força que os impulsione – potencial elétrico e um meio que eles possam se mover – nosso corpo. À medida que aplicamos um estímulo, excitamos um número determinado de fibras musculares com uma determinada amplitude. Os efeitos de modo geral são: intensa hiperemia, vaso-dilatação, melhora da irrigação sangüínea intensificação de processos metabólicos, analgesia e outros.
Ex: corrente galvânica, farádica, tens, diadinâmicas e exponencial, Ultra Som, entre outros.


Hidroterapia

Técnicas como Bad Ragaz, Watsu

Durante os exercícios em água aquecida ocorrem algumas modificações fisiológicas no corpo, como: aumento de freqüência respiratória e cardíaca aumento da circulação periférica o que leva a um maior suprimento de sangue para o músculo, conseqüentemente aumenta o metabolismo muscular e taxa metabólica; Aumenta a quantidade de sangue retorno ao coração o que diminui a pressão arterial; diminuição de edema pela pressão hidrostática e redução da sensibilidade dos terminais nervosos que somadas com todas as outras causam um relaxamento muscular geral.
Os exercícios em água aquecida proporcionam inúmeros benefícios, tais como: promove relaxamento muscular, reduz a sensibilidade à dor e espasmos musculares; diminui a atuação da força de gravidade o que facilita o movimento articular; aumenta a força e resistência muscular nos casos de fraqueza excessiva; aumenta a circulação periférica; melhora a musculatura respiratória à simples imersão ; melhora a consciência corporal; o equilíbrio e a estabilidade do tronco e contribui para a moral e auto confiança do paciente


Crioterapia

Aplicação local como forma de terapia, tem como efeitos fisiológicos a vaso constrição do sistema vascular, e uma vasodilatação reflexa. Tem como efeito analgesia, relaxamento, antiinflamatório, diminui o edema, e aumenta a capacidade de realizar movimentos.

Formas de aplicação: bolsa, imersão, toalhas frias, meios químicos (spray).


Técnicas Manuais

Massoterapia, polpagem, RPG, miofascioterapia, Bobath,, Kabat, etc.


Bobath

É uma abordagem terapêutica e de reabilitação, desenvolvida para o tratamento de adultos, crianças e bebês com disfunções neurológicas.

O paciente é estimulado a desenvolver a sensação do movimento, e não o movimento em si. O objetivo é facilitar o movimento motor e inibir movimentos e posturas anormais. É extremamente importante para o desenvolvimento motor da criança, podendo ser aplicado precocemente em bebês, antes que se estabeleçam as desordens de postura e de movimentos, que, em muitos casos, podem ser evitadas.

O paciente deve ser avaliado de forma global, ou seja, em todas as suas funções e em diversos ambientes. O processo de intervenção é individualizado para atingir as necessidades biopsicossociais, incluindo aspectos preventivos e estimulantes. A interação entre o paciente, a equipe interdisciplinar, a família e/ou as pessoas que o cuidam permite uma intervenção apropriada ao longo das 24 horas do dia.


CONCLUSÃO

Para se chegar a um diagnóstico ou prognóstico de um paciente neurológico, as informações necessárias deverão ser obtidas através de uma avaliação fisioterapeutica minuciosa. O objetivo da avaliação é descrever o paciente, e esse processo envolve o indivíduo como um todo, interpretando as medidas da capacidade ou da incapacidade, não só no contexto do paciente, mas também dentro da família e da sociedade.

Sendo assim através das informações obtidas podemos então concluir que a avaliação neurológica deve ser a mais completa possível, sendo que nenhum dado deve ser omitido à essa avaliação que se subdivide em: visual, inspeção e palpação.

Cada uma dessas fases tem seus objetivos próprios, e cabe ao fisioterapeuta analisar os dados obtidos através da sua anamnese.

O programa fisioterapêutico precoce, intensivo , eficaz , é sempre necessário , importante e principalmente capaz de prevenir as possíveis complicações , aumentando assim , a expectativa e a qualidade de vida do paciente mais próxima do normal .

Fonte: http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/neuro/neuro_juliana.htm

Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Dani

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping