A história da Quiropraxia







http://static.portaleducacao.com.br/arquivos/imagens_artigos/12032013154100dor-na-coluna.jpg 

É difícil saber qual foi o momento exato do surgimento das terapias manuais.  Alguns documentos chineses de antiguidade escritos por volta de 2700aC, escritos gregos de 1500aC são exemplos de que a manipulação para fins terapêuticos não é uma novidade. Vários povos a tem praticado por séculos, como os povos nativos da Ásia, os povos semíticos e muitos outros.

Alguns povos nativos norte-americanos, como os Sioux, descrevem o termo “back - walking” (caminhar por sobre o dorso) e sua prática associado com cura de enfermidades. Em alguns povos da Polinésia, a prática de colocar crianças para caminhar sobre o dorso de enfermos foi observada pelos exploradores navegantes.

Hieróglifos egípcios de 2500 a.C. descrevem a associação entre um dorso livre de curvaturas e desvios com melhor performance físico.

Talvez o maior impacto desta prática veio por meio de Hipócrates. Sua visão era vitalística, centrada no paciente como um indivíduo e não centrada na doença como entidade. Hipócrates escreveu ao menos 70 obras a respeito do processo de cura, entre as quais estão:

· A manipulação e a importância para uma boa saúde;
· Ajustando articulações por meio de alavanca.

Hipócrates enfatizava este ponto: “ Conheça a espinha dorsal, pois este é o requisito para muitas doenças.” Para Hipócrates, Summun bonum - o bem maior - é remover a causa. A Natureza cura; o terapeuta pode apenas remover a obstrução.

Imigrante canadense, Daniel David Palmer, estabeleceu-se em Davenport, estado de Iowa na final do século 19. Autodidata em anatomia e filosofia, Palmer procurava entender a causa da doença. Em setembro de 1985, o zelador do prédio em que trabalhava, procurou-o para ser atendido.

Naquela época, Palmer praticava a magnetoterapia. Harvey Lillard contou a Palmer que ficou tão surdo que não mais podia ouvir o barulho das rodas das carroças nas ruas, nem o tiquetaquear de um relógio. Contudo, Harvey não havia nascido surdo. Havia 17 anos, após carregar um peso e sentir “algo estalar” em suas costas, que ficara surdo. Ao examiná-lo, Palmer notou uma proeminência na região torácica alta e notou que uma vértebra estava fora do alinhamento, causando o “calombo”. Utilizando o processo espinhoso como alavanca, moveu a vértebra de volta a sua posição. Após este fato, Harvey Lillard recuperou a audição. Este resultado fantástico levou Palmer a analisar o que havia descoberto. Muito mais que a cura de um problema, Palmer havia descoberto uma maneira de estabelecer o equilíbrio do organismo. A esta técnica, deu o nome de CHIROPRACTIC.

Bartlett Joshua Palmer: coube ao filho de Palmer desenvolver a quiropraxia. Através de suas pesquisas, BJ Palmer construiu as bases científicas iniciais da profissão. Seus passos foram seguidos por seu filho David Daniel Palmer, conhecido como “O EDUCADOR”. David Palmer desenvolveu a escola de seu pai no que hoje é a PALMER COLLEGE OF CHIROPRACTIC, na cidade de Davenport, Iowa (EEUU).

O quiropraxista não é um técnico em massagens ou manipulação terapêutica. Sua formação é tal que lhe permita diagnosticar e corrigir os Complexos Subluxação, permitindo que a inteligência inata do organismo encontre seu equilíbrio, expresso através do Sistema nervoso Central. Tal profissional tem que conhecer a fisiologia do organismo de maneira tal que possa fornecer atenção primária á saúde, reconhecendo processos patológicos que indiquem a referência e encaminhamento de pacientes a outros profissionais da área da saúde.

Cabe ainda dizer que a quiropraxia não é uma “medicina alternativa”, pois não é uma alternativa à medicina alopática, mas sim um outro paradigma, uma outra visão, uma outra filosofia: O VITALISMO. Tal diferença não é uma novidade, uma vez que Hipócrates e Eurífon já debatiam estes pontos na Grécia Antiga. O VITALISMO considerado o paciente como um todo, em que a doença não é uma entidade, mas sim uma inabilidade de adaptação do organismo versus o mecanismo, onde para a doença é uma entidade externa que invade um organismo.

Os três aspectos principais de administração de quiroprática são tratamentos manuais, prescrição de prevenção e reabilitação exercida e educa paciente em assuntos como postura, ergonomia, dieta, estilo de vida saudável, etc. mais especificamente:

a) Tratamentos Manuais: incluem ajuste em comum, manipulação e mobilização; tração manual; terapia de ponto de gatilho e outras técnicas de tecido – macio. Há uma ênfase em manipulação em comum, uma variedade larga de técnicas rápidas controladas, adaptou para juntas diferentes que foram desenvolvidas dentro de prática de quiroprática e educação durante várias décadas. A força aplicada é súbita em lugar de forte, e move a junta por uma gama pequena de movimento.

O termo tradicional para técnicas de quiroprática específicas de manipulação é o ajuste quiroprático. São chamadas as formas especializadas de mesas usadas por quiroprático, com várias seções comoventes e características mecânicas, ajustando mesas.

b) Outros Tratamentos Físicos. Estes incluem o uso de calor, gelo e eletroterapias

c) Exercício e Reabilitação. A prescrição de correção, reabilitação e exercícios preventivos são um segundo aspecto principal de prática de quiroprática. Isto varia de provisão e supervisão de exercícios indicados que são standard para todos os quiroprático a operação de instalações de reabilitação de multidisciplinares sofisticadas. Quiroprática e reabilitação médica protocola, como a pessoa esperaria, é bem parecido.

d) Educação do Paciente. Isto está em áreas específicas, como conselho da postura ao erguer – se, sentando, dormindo e posturas de trabalho, ou educação geral em nutrição e estratégias de estilo de vida saudáveis. Educação de quiroprática inclui conteúdo de curso nestas áreas e, no U.S. pesquisa nacional já mencionou, mais que twothirds de quiroprático informou usando counselling de exercício nutricional e geral em prática.

A quiropraxia trata-se de uma técnica alternativa, que muitas vezes pode selecionar casos cirúrgicos, evitando assim, a cirurgia que poderia ter uma longa recuperação ou mesmo deixar seqüelas.

A eficiência da prática da quiropraxia está intimamente relacionada aos longos anos de estudo que deverão ser cursados caso contrario, “mão inexperientes” podem trazer prejuízo a saúde do paciente.

Como toda técnica, a quiropraxia possui seu limite, necessitando para seu melhor ajuste, de profissionais de outras áreas da saúde.

Retirado daqui


Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Dani

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping