Estudo mostra que terapia manual é o tratamento mais efetivo para dores no pescoço






Embora não seja tão comum quanto a dor lombar, dores na região do pescoço são uma queixa freqüente em nossos consultórios. Calcula-se que 10 a 15% da população em geral está, a cada momento, sofrendo de algum tipo de dor ou endurecimento no pescoço. Dores no pescoço podem ser causadas por uma série de fatores: estresse, acidentes, pinçamento de nervos, alterações no disco intervertebral. Embora doenças mais sérias sejam raras, a dor no pescoço pode causar muito desconforto e prejudicar dramaticamente a qualidade de vida.

Dor no pescoço também pode levar a perda de produtividade no trabalho. Uma pesquisa feita em 1996 por Louis Harris & Associates mostrou que cerca de 20 milhões de trabalhadores norte-americanos sofrem de dor de pescoço não relacionada ao trabalho. A mesma pesquisa mostrou que quase 70 por cento dos empregadores acredita que a dor influencia no desempenho do trabalhador, e 61 por cento acredita que ela afeta negativamente sua moral.

As terapias mais populares para tratar das dores de pescoço são a terapia manual (ajuste quiroprático e osteopático, massagem), fisioterapia e o uso de analgésicos e relaxantes musculares (prescritos ou não por médicos). Um novo estudo publicado em 26 de abril no British Medical Journal comparou a eficácia e o custo-benefício destas formas de tratamento, e concluiu que a terapia manual é "mais efetiva e mais barata" que a fisioterapia e o tratamento médico convencional.

Resultados
A terapia manual foi considerado "o mais efetivo tratamento" no estudo. Depois de sete semanas, a taxa de melhora no grupo de terapia manual era de 68 por cento, comparado a 51 por cento e 36 por cento com a fisioterapia e tratamento medicamentoso, respectivamente.

O uso de medicamentos para aliviar a dor foi mais baixo no grupo que recebeu terapia manual. Durante o período de acompanhamento - 52 semanas -, 37 por cento de pacientes tratados com terapia manual precisaram tomar algum tipo de remédio, comparados a quase 50 por cento nos grupos de fisioterapia e médico.

Além disso, os pacientes de terapia manuais informaram menos tempo perdido no trabalho devido a dor de pescoço. Pacientes no grupo de terapia manual perderam uma média de 1.3 dias de trabalho devido a dor no pescoço no espaço de um ano que se seguiu o tratamento. Já os pacientes aos cuidados de um médico geral perderam uma média de 10.4 dias.

Também foram vistas diferenças notáveis entre tratamentos na área de custo-benefício. A terapia manual foi a forma mais barata de tratamento; em média, os custos diretos totais de tratar dor de pescoço com terapia manual durante um ano foram 119 a 246 Euros ($137 - $283) menores por paciente comparado à fisioterapia e ao cuidado médico. Quando os custos diretos e indiretos são computados juntos a diferença foi até maior. O custo total para tratar uma pessoa com dor no pescoço durante um ano que usa terapia manual foi €447 ($514). Tratando um paciente durante o mesmo tempo com fisioterapia valeram €1,297 ($1,492); o cuidado médico custou €1,379 ($1,586).

Mas não foi só isso. Os investigadores anotaram ainda na sua conclusão: "As mensurações mostraram que a terapia manual resultou numa recuperação mais rápida do que a fisioterapia e o cuidado médico geral".

Fonte: Núcleo Quiropráxis RJ

Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Dani

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping