Tappings de pressão e a marcha na hemiplegia






 
Algumas técnicas podem ser utilizadas pelo fisioterapuita para facilitar o seu trabalho na marcha do paciente que tem hemiplegia. Uma dessas técnicas é o tapping de pressão.

O Tapping de pressão é feito como uma co-contração para manutenção da fixação postural, ou seja, para a ativação da contração simultânea de agonistas e antagonistas.

http://neurorhb.com/blog-dano-cerebral/wp-content/uploads/2012/08/foto-post-marcha-e1344601454995.jpg

Ele serve para aumentar o tônus postural para a manutenção da postura contra gravidade; É feito para obter co-contração para manutenção da postura; Ativa a contração simultânea de agonistas e antagonistas; É usado em atetóides e atáxicos que tem mobilidade excessiva, falta de fixação e não sustentação do tônus postural.

'Tapping' é somente usado quando há uma fraqueza aparente ou real de um grupo muscular específico, ou em hipotonia global, isto é, falta de sustentação do controle postural contra gravidade.

Pela insegurança e pela dificuldade de manter o peso no membro plégico os portadores de hemiplegia acabam transferindo o peso para o membro não plégico, resultando em significativa assimetria, outros fatores como redução da velocidade da marcha. Os tappings de pressão são estímulos manuais que tem como objetivo aumentar o tônus da musculatura estimulada, no caso da marcha os flexores do joelho permitindo uma marcha mais próxima da biomecânica normal.

Não deve ser usado na presença de espasticidade ou hipertonia. Nos espásticos pode ser usado para estimular as reações de equilíbrio.

Até a próxima!



Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Faça Fisioterapia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping