Recuperação funcional na Fratura no Ombro








Diversas complicações podem ocorrer com essas fraturas, com ou sem a cirurgia. A perda dos movimentos do ombro é a complicação mais comum e depende de uma série de fatores, como: tempo prolongado de imobilização, gravidade da fratura e posição dos fragmentos ósseos após a consolidação. A consolidação em uma posição ruim também é uma complicação ruim. Uma angulação excessiva do úmero ou o desvio dos tubérculos pode gerar dor ou alguma limitação dos movimentos. A reabilitação precoce é muito importante. A fratura do úmero que envolve uma longa imobilização pode evoluir em uma incapacidade de mover o ombro (capsulite adesiva).

O programa de reabilitação deve se concentrar na restauração da função normal do braço e ombro. O fisioterapeuta pode ensiná-lo a realizar suas atividades diárias normais para melhorar a forma em que o ombro e o braço se movem de modo que o ferimento não limita as atividades diárias. Precisa discutir com o fisioterapeuta suas ações difícil (ou impossível) por causa da fratura. Assim, o programa de recuperação vai ser personalizado.

A consequência é que serve uma longa reabilitação ou cirurgia para liberar aderências. A fraqueza do ombro está presente após a cura.
As fraturas do úmero proximais podem consolidar com um mau alinhamento ou fragmentos de ossos que não podem soldar em tudo, especialmente se a fratura envolveu o tubérculo maior.

Geralmente, de oito a doze semanas após a lesão, a força e a mobilidade deve melhorar o suficiente para Reabilitação para a fratura do braço e ombro permitir o funcionamento normal do braço. Após esse período, o nível da dor deve ser mínimo e pode ser reduzido gradualmente. Pode ser necessário realizar os exercícios em casa por mais de alguns meses para maximizar a mobilidade.

Não podemos esquecer que uma fratura do úmero proximal (perto do ombro) é uma ferida dolorosa que limita o movimento do braço e do ombro. Isso pode ter um impacto significativo sobre a capacidade de trabalhar, executar tarefas domésticas ou passatempos no tempo livre.

Um programa de fisioterapia após uma fratura de úmero proximal pode ajudá-lo a retornar às suas atividades normais rápido e seguro.

Complicações

As lesões do plexo braquial e nervos (axilar, supraescapular, musculocutâneo, radial) ocorrem em 50 % das fraturas do úmero proximal e 8% deles causa a perda permanente da força muscular. Aumenta o risco de lesões nervosas em indivíduos que sofrem uma fratura do colo cirúrgico do úmero ou em idosos.

A maioria das lesões vasculares ocorrer em indivíduos com mais de 50 anos de idade. A lesão da circulação sanguínea do úmero proximal (ramo lateral da artéria umeral circunflexa anterior) pode levar a necrose avascular, que ocorre em 14 % das fraturas em três partes e em 34 % das fraturas do úmero em quatro partes (Frankle). Esta complicação é frequente em fraturas do colo cirúrgico do úmero e pode resultar na necessidade de substituir a articulação (artroplastia).

Porém, a complicação mais temida é a osteonecrose. Essa complicação pode decorrer da perda do suprimento sangüíneo da cabeça do úmero. Pode ocorrer até 2 ou 3 anos depois da cirurgia e principalmente nas fraturas mais graves (em 4 partes) ou naquelas associadas à luxação.



Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Faça Fisioterapia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping