Objetivos da Fisioterapia Oncológica








O câncer caracteriza-se por ser uma doença de comprometimento sistêmico e altamente incapacitante. Sabendo que o mesmo é capaz de produzir alterações e desencadear uma série de comprometimentos é que se faz tão importante a intervenção fisioterapêutica.

Conforme estimativa do INCA (Instituto Nacional do Câncer) só em 2016 surgirá cerca de 12.600 novos casos de câncer em criança e adolescentes sendo a leucemia, tumores do sistema nervoso central e linfomas as neoplasias de maior incidência.No momento, não há evidencias cientificas que apontem alguma causa do câncer infantil. Sendo assim, o diagnóstico precoce e a expertise na avaliação terapêutica são as chaves para um bom prognóstico.

A fisioterapia oncológica é uma especialidade que tem como metas preservar e restaurar a integridade cinético-funcional de órgãos e sistemas, assim como prevenir, tratar e minimizar os distúrbios e sequelas causados pelo tratamento oncológico.

O profissional que atua nesta área deve estar apto para o atendimento de pacientes infantis, adolescentes, adultos e idosos, desde o processo de cura até os casos em que é irreversível, sempre desenvolvendo seus programas de tratamento nesse contexto.


Portanto, a abordagem fisioterapêutica em pacientes diagnosticados com câncer tem por característica ser de grande complexabilidade, ainda mais se tratando de um público infantil. O profissional Fisioterapeuta tem grande importância no processo de reabilitação, onde o mesmo a partir dos seus conhecimentos deve além de tratar as disfunções presentes atuar de forma preventiva, evitando assim um possível agravamento do quadro clínico do paciente.

Objetivos Gerais

Ao atuar na área de fisioterapia oncológica o profissional vai atuar nos cuidados paliativos aliviando a dor e os sintomas decorrentes da patologia e do tratamento, melhorando o conforto, minimizando as complicações e proporcionando a melhora da qualidade de vida dos pacientes, inclusive contribuindo para prevenir complicações advindas do câncer ou do seu tratamento.

Vale ressaltar que é vital sempre levar em consideração as necessidades dos pacientes e da família.

Então, de forma geral os objetivos fisioterapêuticos serão:

– Preventivos: com a finalidade de evitar sequelas que possam ser incapacitantes antes que elas ocorram;
– Restaurativos: em pacientes com déficits para maximizar o retorno motor;
– De apoio: para que quando a incapacidade progressiva for antecipada e quando existe doença residual ocorra o maior nível de independência possível;
– Paliativos: em pacientes nos estágios finais da patologia com o objetivo de manter e aumentar o conforto.

– Objetivos Específicos

Os objetivos específicos variam segundo as potenciais deficiências ou natureza real da patologia, sendo identificadas a partir da avaliação fisioterapêutica. Assim, o fisioterapeuta deve direcionar o desenvolvimento dos objetivos de forma funcional, mensurável e capaz de serem alcançados o mais precocemente possível.

Tais objetivos específicos serão:

– Estimular a independência funcional;
– Melhorar a atividade motora;
– Prevenir úlceras de decúbito em pacientes acamados;
– Atuar na prevenção de cicatrizes hipertróficas e aderentes pós-cirúrgicas;
– Prevenir e tratar disfunções linfáticas que possam se estabelecer;
– Manter a amplitude de movimento articular e prevenir contraturas;
– Promover o bem-estar físico e emocional;
– Promover a higiene pulmonar e prevenir infecções respiratórias;
– Manter a força muscular e prevenir atrofias;
– Manter o equilíbrio, a coordenação e a resistência.


Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia

Tecnologia do Blogger.