Exercícios físicos preventivos, o melhor remédio para a osteoporose







Mulheres com osteoporose na pós-menopausa devem realizar exercícios físicos preventivos. Quem recomenda é a fisioterapeuta Sylvia Henriques em sua tese de doutorado "Alterações musculoesqueléticas de risco para quedas em mulheres na pós-menopausa com osteoporose", defendida na Faculdade de Ciências Médicas (FCM) e orientada pela professora Lúcia Costa Paiva.

Ao receber o diagnóstico da doença que evolui com o passar dos anos, em geral, as mulheres procuram atividades físicas nem sempre adequadas, optando muitas vezes por exercícios na água. Sylvia esclarece, no entanto, que a prática de exercícios com peso e impacto, envolvendo grandes grupos musculares e com ação da gravidade, desde que de forma direcionada e supervisionada por especialistas, acaba estimulando o processo de remodelação óssea, melhora as condições musculoesqueléticas gerais, diminuindo o risco para quedas e, conseqüentemente, possíveis fraturas.

Sylvia alerta, no entanto, para a maneira correta de se exercitar. Indivíduos com fraturas recentes, densidade mineral óssea muito baixa ou problemas posturais importantes, requerem atenção de profissional especializado, orientando na correção dos movimentos. Devem ser evitados também exercícios comuns realizados em academias e em salas de ginástica que poderiam complicar ainda mais o quadro.

Como uma das alterações ocorridas no indivíduo portador da doença é a acentuação das curvaturas da coluna (corcunda), decorrentes das microfraturas vertebrais, os exercícios abdominais dentre outros exercícios que exigem a flexão do tronco, são contra-indicados, enquanto os exercícios que exigem extensão do tronco devem ser estimulados. A fisioterapeuta afirma que a prática regular de atividades físicas de impacto, tais como a caminhada e a musculação, têm efeito direto na qualidade de massa óssea, prevenindo a osteoporose e suas complicações.

A pesquisa realizada por Sylvia contou com 30 mulheres com osteoporose e 33 sem a doença. Todas as voluntárias responderam entrevista e foram submetidas à avaliação física e radiológica nas alterações mais evidentes como postura (curvaturas sagitais da coluna vertebral), força muscular, equilíbrio e flexibilidade.

Neste estudo, evidenciou-se que mulheres com osteoporose apresentam alterações musculoesqueléticas que podem levar, em longo prazo, à limitação das atividades diárias, dor lombar e favorecer a ocorrência de quedas, contribuindo para maior risco de fraturas. Estas observações permitem propor que mulheres com osteoporose participem de programas físicos preventivos.

Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Dani

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping