Caso Clínico: Ruptura crônica do ligamento cruzado anterior e lesões meniscais associadas






História clínica: paciente de 21 anos, com instabilidade no joelho há 1 ano.

Paciente refere entorse do joelho jogando futebol há 1 ano. Porém, continuou com a prática esportiva normalmente neste período, quando há 3 meses notou piora da instabilidade, mesmo ao caminhar.

Hipótese diagnóstica: lesão ligamentar crônica.

Exame solicitado: ressonância magnética do joelho.
Ressonância magnética do joelho

Corte sagital, sequência T2 (a)
(a) Indefinição das fibras do ligamento cruzado anterior, com perda da orientação normal e heterogeneidade difusa de sinal.
a.
Corte sagital, sequência PD FS (b)
(b) Significativa alteração na morfologia do corno posterior do menisco medial, com fragmentação (seta).
b.
Cortes sagitais, sequência T2 FS
(c, d)
(c) Redução das dimensões do corno posterior do menisco lateral, com irregularidade de contornos. Fragmento meniscal deslocado anteriormente e sobreposto ao corno anterior ( flap) (seta branca).

Imagem sugestiva de fratura da borda posterior do côndilo tibial lateral, com edema ósseo medular adjacente, sem desvio significativo (seta cinza).
c.
(d) Deformidade do corno posterior do menisco lateral, com alteração de sinal. Fragmento meniscal deslocado anteriormente, como em c .
d.
Corte coronal, sequência PD FS (e)
(e) Deslocamento do fragmento meniscal para o centro da articulação (seta).

F
igura dos meniscos, com ruptura do menisco lateral e deslocamento parcial de fragmento meniscal (imagem: http://www.eorthopod.com
d.
e.
Corte sagital, sequência T2 FS (f)
(f) Extensa lesão osteocondral na porção média do côndilo femural lateral (zona de carga), com exposição óssea e edema ósseo medular adjacente. Mede cerca de 2,5 cm.
f.
 Diagnóstico: ruptura completa crônica do ligamento cruzado anterior, ruptura complexa do corno posterior do menisco medial, ruptura extensa do menisco lateral, com componente de lesão tipo alça de balde, lesão osteocondral no côndilo femural lateral, contusões ósseas, provável fratura do côndilo tibial lateral, pequeno derrame articular.

Comentários: no caso apresentado, a ressonância magnética foi muito bem indicada para diagnosticar lesões associadas à ruptura ligamentar prévia. As lesões meniscais diagnosticadas podem ter surgido ou ter se ampliado durante o período de instabilidade. O exame de RM avaliou a extensão da lesão osteocondral no côndilo femural lateral e detectou provável fratura na margem do côndilo tibial lateral.
Cortesia:Dr. Milton Luiz Miszputen


Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Dani

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping