Saiba mais sobre a Amputação Traumática






http://www.anacosta.com.br/wp-content/uploads/2016/10/fisioterapia-hac.jpg

A amputação traumática traz uma grande modificação na vida do paciente. Por definição, a amputação traumática é a perda acidental de uma parte do corpo, normalmente um dedo, ante-braço, braço ou perna.

Há várias complicações associadas à amputação de uma parte do corpo, sendo as mais importantes o sangramento, o choque e as infecções. Veja 10 dicas para se fazer um bom primeiro socorros:

1. Abrir vias aéreas e prestar assistência ventilatória, caso necessário.

2. Controlar a hemorragia.

3. Tratar o estado de choque, caso este esteja presente.

4. Cuidados com o segmento amputado.

5. Limpeza com solução salina, sem imersão em líquido.

6. Envolvê-lo em gaze estéril, seca ou compressa limpa.

7. Cobrir a área ferida com compressa úmida em solução salina.

8. Proteger o membro amputado com dois sacos plásticos.

9. Colocar o saco plástico em recipiente de isopor com gelo ou água gelada.

10. Jamais colocar a extremidade em contato direto com o gelo.
Para os amputados, os resultados a longo prazo têm melhorado em decorrência dos avanços nos cuidados emergenciais e a administração de cuidados intensivos, novas técnicas cirúrgicas, reabilitação precoce, adaptação de prótese e novos desenhos de próteses. Novas técnicas de reimplantação de membros têm tido sucesso moderado, mas a regeneração incompleta de nervos continua sendo um fator limitante de importância.

Causas:
Amputações traumáticas geralmente resultam de acidentes em fábricas e sítios, com ferramentas elétricas ou com veículos motorizados.

Seu tratamento inicial deve ser rápido pela gravidade da lesão, que pode causar a morte por hemorragia, e pela possibilidade de reimplante do membro amputado. São três os tipos de amputação:

Falando um pouco mais sobre a amputação completa, a extremidade é completamente retirada; em uma amputação parcial, algumas conexões do tecido mole permanecem. Algumas vezes, essas partes podem ser reconectadas, especialmente quando se tomam cuidados especiais com a parte amputada e a parte remanescente.




O outro tipo de amputação é a Amputação parcial, quando o segmento tem 50% ou mais de área de solução de continuidade com o corpo.

Para o Fisioterapeuta que trabalha com essa área, é preciso estar atento as novas necessidades dos pacientes.

Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia

Tecnologia do Blogger.