Saiba mais sobre a Amputação Traumática






http://www.anacosta.com.br/wp-content/uploads/2016/10/fisioterapia-hac.jpg

A amputação traumática traz uma grande modificação na vida do paciente. Por definição, a amputação traumática é a perda acidental de uma parte do corpo, normalmente um dedo, ante-braço, braço ou perna.

Há várias complicações associadas à amputação de uma parte do corpo, sendo as mais importantes o sangramento, o choque e as infecções. Veja 10 dicas para se fazer um bom primeiro socorros:

1. Abrir vias aéreas e prestar assistência ventilatória, caso necessário.

2. Controlar a hemorragia.

3. Tratar o estado de choque, caso este esteja presente.

4. Cuidados com o segmento amputado.

5. Limpeza com solução salina, sem imersão em líquido.

6. Envolvê-lo em gaze estéril, seca ou compressa limpa.

7. Cobrir a área ferida com compressa úmida em solução salina.

8. Proteger o membro amputado com dois sacos plásticos.

9. Colocar o saco plástico em recipiente de isopor com gelo ou água gelada.

10. Jamais colocar a extremidade em contato direto com o gelo.
Para os amputados, os resultados a longo prazo têm melhorado em decorrência dos avanços nos cuidados emergenciais e a administração de cuidados intensivos, novas técnicas cirúrgicas, reabilitação precoce, adaptação de prótese e novos desenhos de próteses. Novas técnicas de reimplantação de membros têm tido sucesso moderado, mas a regeneração incompleta de nervos continua sendo um fator limitante de importância.

Causas:
Amputações traumáticas geralmente resultam de acidentes em fábricas e sítios, com ferramentas elétricas ou com veículos motorizados.

Seu tratamento inicial deve ser rápido pela gravidade da lesão, que pode causar a morte por hemorragia, e pela possibilidade de reimplante do membro amputado. São três os tipos de amputação:

Falando um pouco mais sobre a amputação completa, a extremidade é completamente retirada; em uma amputação parcial, algumas conexões do tecido mole permanecem. Algumas vezes, essas partes podem ser reconectadas, especialmente quando se tomam cuidados especiais com a parte amputada e a parte remanescente.




O outro tipo de amputação é a Amputação parcial, quando o segmento tem 50% ou mais de área de solução de continuidade com o corpo.

Para o Fisioterapeuta que trabalha com essa área, é preciso estar atento as novas necessidades dos pacientes.

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.