Primeiros Socorros







Para ajudar alguém num acidente, o importante é estar calmo e usar algumas medidas de emergência

Saiba o que fazer e o que não fazer em uma ação de primeiros socorros para diminuir o sofrimento das vítimas ou até mesmo salvar vidas. Aqui estão algumas regras básicas, válidas para qualquer tipo de emergência, embora não substituam o atendimento médico.

Primeiras Medidas

1. Evite que o acidente dê origem a outros e afaste perigos que poderiam complicar a situação.
Por exemplo, num acidente automobilístico, sinalize o local; antes de atender uma vítima de um choque elétrico, corte a energia que alimenta o circuito; num incêndio, tente apagar o fogo ou afastar a vítima para longe dele.
2. Mande alguém imediatamente em busca de socorro médico.
3. Afaste do local as crianças, os curiosos que não se disponham a ajudar e as pessoas que demonstrem medo ou ansiedade.
4. Se houver pessoas para ajudá-lo, distribua as ordens de modo a atender os feridos com mais rapidez e eficiência.

Cuidados Essenciais

• Locomoção da vítima só mesmo se for livrá-la de perigo maior
(por exemplo, risco de explosão, de envenenamento por gás, de desabamento etc.) ou no casos de levá-la imediatamente ao pronto socorro, se este for o único meio de salvar-lhe a vida.
• Nunca dê líquidos a pessoas inconscientes ou semiconscientes.
• Evite o pânico da vítima, das pessoas em volta e o seu próprio.
• A calma é amiga da eficiência, além de transmitir confiança à vítima.

O que Fazer em Caso de Dúvida ?

Na dúvidas, siga as orientações:

• Examine a vítima com cuidado e rapidamente;
• Deite-a de costas, com a cabeça de lado para prevenir asfixia por vômitos ou por golfadas de sangue;
• Desobstrua suas vias respiratórias, retirando pontes móveis, dentaduras e eventuais detritos existentes no nariz ou na boca.

Verifique Pulsação

A pulsação normal em adultos é entre 60 e 80 batimentos cardíacos por minuto; nas crianças, entre 80 e 100. Para contar, coloque a ponta dos dedos no punho da vítima:
• Pulso fraco e rápido pode significar estado de choque;
• Ausência de pulso pode indicar parada cardíaca: inicie imediatamente a reanimação cardiopulmonar (RCP).

Verifique a Respiração

Normalmente um adulto respira cerca de 17 vezes por minuto.
• Respiração rápida e superficial pode indicar estado de choque;
• Respiração profunda e penosa pode significar obstrução das vias respiratórias ou doença cardíaca: desobstrua imediatamente as vias respiratórias da vítima;
• Respiração com eliminação de sangue pela boca ou pelo nariz e tosse pode indicar dano nos pulmões por fratura de costelas.

Estado das Pupilas ("meninas dos olhos"):

A análise das pupilas pode indicar:
• Contraídas - vício de drogas ou doenças que afetam o sistema nervoso central;
• Dilatadas - estado de relaxamento e inconsciência ou por ataque cardíaco ou envenenamento por drogas, álcool ou solvente;
• Desiguais - denunciam traumatismo craniano.

A Cor da Pele Revela Sinais

A coloração da pele pode indicar indícios:
• Avermelhada - início de envenenamento por monóxido de carbono ou traumatismo craniano;
• Vermelhidão seguida de arroxeamento - intoxicação por gás;
• Azulada ou arroxeada - queda de oxigenação no sangue, risco de paradas cardíacas e respiratórias, casos de obstrução das vias aéreas e alguns tipos de envenenamento;
• Pálida ou acinzentada - circulação insuficiente ou estados de choque e doenças cardíacas.

A Temperatura do Corpo

Ao medir a temperatura nas axilas, quando abaixo de 36ºC, pode indicar estado de choque, hemorragias, exposição prolongada ao frio. Se for mais alta que 37,5ºC, pode ser decorrência de febre ou de exposição a calor excessivo.

Capacidade de Movimentação

• Paralisia de um dos lados do corpo, inclusive da face, pode indicar hemorragia cerebral ou intoxicação por drogas;
• Paralisia das pernas pode indicar fratura de coluna abaixo do pescoço;
• Paralisia de braços e pernas pode denunciar fratura de coluna ao

 Verifique Também

1. Estado de consciência: Pergunte à vítima o seu nome, onde está, qual o dia da semana, etc. Respostas erradas podem significar traumatismo craniano e envenenamento.
2. Reação à dor: A incapacidade de movimentos geralmente está associada à insensibilidade à dor; queixa de formigamento nas extremidades pode significar trauma na coluna.

Diferença entre Paradas Respiratória e Cardíaca

Sinais de Parada Respiratória:
• Inconsciência
• Peito Imóvel
• Ausência de saída de ar pelas vias aéreas
• Lábios e unhas azuladas

Sinais de Parada Cardíaca:
• Inconsciência
• Ausência de pulsação e de ausculta de batimentos cardíacos
• Palidez excessiva
• Lábios, unhas e mãos arroxeadas

RCP - Reanimação Cardiopulmonar

Estes são os procedimentos a serem seguidos no caso de parada cardíaca:
• Colocar a vítima deitada sobre superfície dura
• Posicione-se ao lado da vítima
• Coloque as mãos sobrepostas no terço inferior do osso esterno (localizado no tórax)
• Fazer compressão sobre o osso com os seus braços esticados
• Faça 60 compressões por minuto

Tratando-se de parada cardiorespiratória:
• Faça 10-15 compressões alternando com 2 respirações boca a boca

Controle o pulso carótido (pulsação percebida no pescoço) e movimentos respiratórios.
Pare somente se estes sinais forem restabelecidos.

Prioridade no Socorro

No caso de mais de uma vítima, socorra primeiramente os casos mais graves como:
• atendido não consegue respirar;
• paradas cardíacas;
• perda descontrolada de sangue;
• traumas no crânio e na coluna vertebral;
• envenenamentos;
•complicações diabéticas;
• problemas cardíacos;
• peito e abdome abertos;
• estado de choque.
Obedecendo essa ordem de prioridades, seguem-se em casos de queimaduras ou fraturas múltiplas, fratura simples, ferimentos de menor importância e óbito.

O que Fazer após o Socorro de Urgência?

Para impedir o agravamento do estado de uma vítima já restabelecida:
1. Aguarde o atendimento médico no local. Só transporte a vítima se absolutamente necessário ou se ela estiver em condições de saúde que não inspirem qualquer preocupação;
2. Mantenha a vítima deitada de costas e com a cabeça de lado, mesmo que ela tenha voltado a si;
3. Mesmo que a vítima aparente estar bem, obrigue-a a receber tratamento especializado;
4. Conte ao médico sinais observados na vítima para ajudá-lo em tratamento posterio

Respiração

A respiração é crítica para a sobrevivência do organismo, e garanti-la é o ponto fundamental de qualquer procedimento de primeiros socorros. O cérebro tem lesões irreversíveis em no máximo 6 minutos após a interrupção da respiração. Após 10 minutos, a morte cerebral é quase certa.

Para verificar a respiração, flexione a cabeça da vítima para trás, coloque o seu ouvido próximo à boca do acidentado, e ao mesmo tempo observe o movimento do tórax. Ouça e sinta se há ar saindo pela boca e narinas da vítima. Veja se o tórax se eleva, indicando movimento respiratório.

Se não há movimentos respiratórios, isso indica que houve parada respiratória.

 

Abertura das vias respiratórias(AÉREAS)

O primeiro procedimento é verificar se há obstrução das vias aéreas do paciente.

Para isso, deixe o queixo da vítima levemente erguido para facilitar a respiração. Usando os dedos, remova da boca objetos que possam dificultar a respiração: próteses, dentaduras, restos de alimentos, sangue e líquidos.

Os movimentos do pescoço devem ser limitados, e com o máximo cuidado: lesões na medula podem causar danos irreparáveis.

 

Respiração artificial

É o processo mecânico empregado para restabelecer a respiração que deve ser ministrado imediatamente, em todos os casos de asfixia, mesmo quando houver parada cardíaca.

 

Asfixia/sufocação

Dependendo da gravidade da asfixia, os sintomas podem ir desde um estado de agitação, palidez, dilatação das pupilas (olhos), respiração ruidosa e tosse, a um estado de inconsciência com paragem respiratória e cianose(tonalidade azulada) da face e extremidades(dedos dos pés e mãos).


O que deve fazer:

Se a asfixia for devido a um corpo estranho deve (numa criança pequena):

  • Se o objeto estiver no nariz, pedir à criança para se assoar com força, comprimindo com o dedo a narina contrária;

  • Se for na garganta, abrir a boca e tentar extrair o objeto, se este ainda estiver visível usando o dedo indicador em gancho ou uma pinça, com cuidado para não empurrar o objeto;

  • Colocar a criança de cabeça para baixo. Sacudi-la e bater-lhe a meio das costas, entre as omoplatas, com a mão aberta.


O que NÃO deve fazer:

  • Abandonar o asfixiado para pedir auxílio;

 

- PRIMEIROS SOCORROS NAS CRISES -

Como eu posso ajudar alguém que está em crise? A conduta apropriada para ajudar alguém durante uma crise depende do tipo de crise. Enquanto uma pessoa com crise tônico-clônica pode precisar de alguma ajuda, na maioria dos casos pouco deve serve feito.

A crise tônico-clônica (grande mal) é freqüentemente a mais dramática e atemorizante, mas é importante ter em mente que a pessoa em crise está inconsciente e não sente dor. A crise usualmente dura poucos minutos e não há necessidade de cuidado médico. Os seguintes procedimentos simples podem ser usados:
1) Fique calmo. Você não pode parar uma crise, deixe que ela siga seu curso, não tente reanimar a pessoa;
2) Coloque a pessoa no chão e afrouxe sua roupa;
3) Tente remover quaisquer objetos que possam machucar a pessoa. Pode ser necessário colocar algo macio sob sua cabeça;
4) Vire a pessoa de lado para que a saliva possa sair mais facilmente da boca;
5) Não ponha nada na boca da pessoa;
6) Após a crise deixe a pessoa descansar ou dormir, se necessário;
7) Após descansar, a maioria das pessoas recupera-se completamente. Caso contrário acompanhe-a até sua casa;
8) No caso de uma criança em crise contate um familiar ou policial;
9) Se a pessoa apresenta uma série de convulsões sem recuperar a consciência entre elas ou uma convulsão que dure mais de dez minutos procure imediatamente socorro médico.

Nas crises parciais complexas:
1) Não restrinja a pessoa, proteja-a removendo objetos perigosos;
2) Se ocorrer perambulação fique com a pessoa e fale calmamente.

Crises de ausência e crises parciais simples não necessitam primeiros socorros.

O que fazer se a criança tem crises durante o sono? As crianças são geralmente acordadas pelas crises que ocorrem enquanto dormem. Assim, os familiares são alertados quando elas ocorrem. Somente nos raros casos em que a criança vomita ou experimenta outros problemas durante a crise existe necessidade de preocupação.

Lesões e Ferimentos

 

Nas fraturas ,os primeiros socorros consistem apenas em impedir o deslocamento das partes quebradas.

A bandagem tem como objetivo manter um curativo,imobilizar fraturas ou conter,provisoriamente,uma parte do corpo.

Na aplicação de bandagem nos membros superiores comece da extremidade para o centro , no sentido da mão para o braço. Nos membros inferiores comece pelo pé e envolva sempre da esquerda para a direita .

Fratura Fechada

Deixe a parte afetada na posição mais natural possível. Coloque talas sustentando a parte atingida e amarre as talas abaixo e acima das juntas .Use um jornal grosso e dobrado,revista ou qualquer outro objeto que evite a movimentação do membro fraturado .

Fratura Exposta

Não tente recolocar o osso no lugar.Cubra o  ferimento para evitar infecção e aplique talas para  fraturas fechadas , sem puxar  o membro ou fazê-lo voltar à sua posição natural.

 

               

 

      


Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Dani

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping