sexta-feira, 10 de abril de 2009

Fisioterapia na saúde da mulher






As mulheres destacam-se como grupo de grande demanda nos serviços de atenção à saúde. O atendimento em Saúde da Mulher exige do profissional uma atenção especial que ultrapassa o limite da especificidade passando por um olhar mais global, com ênfase na prevenção dos agravos e na promoção da saúde integral da mulher.

A atuação da fisioterapia na saúde da mulher permite intervir sobre vários aspectos da função e do movimento humano, que sofrem mudanças e alterações durante as fases de vida da mulher, desde a adolescência até a fase adulta, passando pelo período gestacional, menopausa e terceira idade. A fisioterapia na saúde da mulher atua com patologias que freqüentemente atingem o sexo feminino, tais como a Incontinência Urinária, Câncer de Mama ou Fibromialgia, para citar alguns exemplos.

A fisioterapia como uma área atuante na saúde feminina, fundou a Associação Brasileira de Fisioterapia em Saúde da Mulher (ABRAFISM) que é uma associação civil, sem fins lucrativos, representativa dos Fisioterapeutas que atuam na área de Saúde da Mulher no Brasil. Foi criada por fisioterapeutas de todo o país, reunidos em assembléia durante o Cobraf em São Paulo no dia 07/10/2005. O encontro começou com apresentações da representante da Confederação Mundial de Fisioterapia (WCPT) Dra. Brenda Myers. No dia 4/6/2007, a ABRAFISM deu um passo histórico, se tornando a primeira associação da América Latina a se tornar membro da Organização Internacional de Fisioterapia em Saúde da Mulher (IOPTWH) durante o Congresso Mundial de Fisioterapia realizado em Vancouver no Canadá. A filiação da ABRAFISM a IOPTWH representa um benefício direto ao Associado ABRAFISM que passa automaticamente a fazer parte de uma organização internacional que lhe proporciona um canal de comunicação com o mundo, favorecendo assim sua participação crescente e inserção no cenário internacional da Fisioterapia em Saúde da Mulher.

A fisioterapia na saúde da mulher desenvolve trabalhos preventivos e reabilitadores nas áreas de oncologia mamária e ginecológica, climatério, gestação e pós-parto, dor pélvica crônica e uroginecologia (incontinência urinária e fecal, disfunções sexuais), visando melhoria nas condições físicas da mulher através de programas personalizados e especializados de acordo com suas necessidades.

Durante a gestação, uma das principais atuações dos fisioterapeutas está relacionada com as dores lombares, comum em mulheres grávidas. O fisioterapeuta se apresenta como um profissional da área da saúde capaz de contribuir com a melhora da qualidade de vida da gestante, amenizando suas queixas, através de um programa educativo e terapêutico. Os exercícios diminuem as chances de a mulher ter dores de alta intensidade durante a gestação, que limitam a execução das atividades diárias, além de contribuir para a melhora da auto-estima da gestante e evitar o ganho excessivo de peso, comum na gravidez.

Após a cirurgia para a retirada de um câncer de mama, a mulher passa a ter uma nova realidade de seu esquema corporal devido alterações importantes que ocorreram em níveis anatômico, fisiológico e funcional. É baseada nessas alterações que a reabilitação física, através da fisioterapia, desempenha papel fundamental por apresentar um conjunto de possibilidades terapêuticas físicas suscetíveis intervindo desde a mais precoce recuperação funcional até a prevenção e tratamento de seqüelas como dor, restrição de movimentos, diminuição de força muscular, aderência da cicatriz e linfedema.

Linfedema é o excesso de fluidos acumulado fora do vaso linfático que provoca inchaço e dor no membro afetado. A fisioterapia regride os transtornos do linfedema e evita que este aumente com o tempo, o que poderia gerar maior risco de infecções.

Leia a continuação clicando aqui

Escrito por Juliana Mancuso



RECOMENDE ESSE POST

Share on Tumblr

COMENTE O POST

Pesquisar este blog

Carregando...
 

Shopping