Sindrome de Brown-Sequard







Definição:

A Sindrome de Brown-Sequard é uma lesão medular incompleta caracterizada por um quadro clínico que reflete a hemi seção da medula. É frequentemente encontrada em lesões da região cervical. A sindrome pura de Brown-Sequard pura não é muito frequente. É mais comum encontrarmos um quadro onde estão presentes fragmentos da sindrome ou sinais clínicos de uma hemi seção da medula associado a outros sinais e sintomas.

CLÍNICA/História:

A sindrome de Brown-Sequard pode decorrer de uma lesão penetrante na medula mas, outras doenças também tem sido descritas como causadoras da sindrome. A hemi seção completa causando a manifestação clássica e pura da sindrome de Brown-Sequard é muito rara. O que acontece, mais frequentemente, é uma hemi seção incompleta causando parte da sindrome de Brown-Sequard associada a mais outros sinais e sintomas.

Exame Físico: A sindrome de Brown-Sequard pura é caracterizada por:

-Interrupção do trato corticospinhal lateral
-Paralisia espástica do mesmo lado e abaixo do nível da lesão
-Sinal da Babinski do mesmo lado da lesão
-Reflexos anormais e sinal de Babinski podem não estar presentes na fase aguda da lesão
-Interrupção da coluna branca posterior
-Perca do mesmo lado da lesão da percepção tátil, vibratória e da posição de sentido abaixo do nível da lesão
-Interrupção do trato spinotalâmico lateral
-Perca do lado contrário da lesão da sensação da dor e da temperatura, que normalmente ocorre 2-3 segmentos abaixo do nível da lesão
-A sindrome parcial de Brown-Sequard é caracterizada por:
-Perca da sensibilidade assimétrica com diminuição mais acentuada da perca da sensibilidade para dor, do lado menos parético


Causas:

-Tumores medular, primitivos ou metastáticos
-Trauma, penetrante ou cego
-Doenças degenerativas como hérnias de disco ou espodilose cervical
-Isquemia
-Causas infecciosas/inflamatórias como meningite, empiema, herpes zoster, herpes simples, mielites, tuberculose, sífilis e esclerose múltipla
-Hemorragia inclusive a subdural/epidural and hematomielia


DIAGNÓSTICO TÉCNICO

Laboratório Clínico:

O diagnóstico da sindrome de Brown-Sequard é clínico, baseado apenas na história e exame físico do paciente. O laboratório clínico não é necessário para avaliar a condição inicial mas pode ser útil para ajudar a acompanhar o curso da evolução clínica do paciente. O estudo laboratorial também pode ser útil para identificar a etiologia da sindrome, quando ela não for traumática; de outro modo, os estudos laboratoriais não contribuem para o diagnóstico.
Estudo de Imagens:


Raio X simples:
Mostram lesões ósseas e se o trauma é penetrantes ou cego. Ao lado das lesões cegas podem ocorrer fraturas em regiões vizinhas que podem causar a sindrome de Brown-Sequard.

MRI:
Define a extensão de uma lesão medular sendo útil para fazer diagnóstico diferencial entre as etiologias não traumáticas que levam a sindrome.

Mielograma:
Pode ser útil quando o MRI está contra indicado.

Procedimentos:


Patientes com sindrome de Brown-Sequard traumática ser avaliados para a possibilidade de apresentarem outras lesões, como qualquer vítima de trauma. Estes procedimentos incluem:
Cateterização da bexiga devido aos diferentes graus de disfunção que o paciente pode apresentar nesta área.
Imobilização imediata.
Sondagem Nasogástrica:
A sondagem com subsequente drenagem do conteído gástrico previne a aspiração. Nesta fase aguda, estes pacientes estão mais suscetívies a desenvolver um íleo paralítico.

Imobilização da coluna cervical:
Por razões óbvias, a imobilização da coluna cervical ou da coluna dorsal é requerida no caso de haver suspeita de instabilidade da coluna. Isto pode requerer o uso do colar cervical para imobilização ou a colocação do aro de Gardner, se a fratura cervical tiver sido identificada.

Investigação de lesão intra abdominal:
Patientes com sindrome de Brown-Sequard apresentarão diferentes níveis de perca da sensibilidade tornando-se obrigatória a investigação de lesão intra abdominal através de lavagem peritoneal ou Raio X de abdomen.



TRATAMENTO

Cuidados Antes do Hospital: A chave do sucesso no manuseio de um paciente com Brown-Sequard está no suspeitar precocemente de lesão medular cervical ou outra qualquer e tomar as providencias adequadas para a imobilização do paciente.

Cuidados na Sala de Emergência:

Uma avaliação cuidadosa deve ser a preocupação na sala de emergência inclusive um exame neurológico detalhado para verificar o nível da lesão. Imobilização cervical e dorsal devem ser arranjadas se for o caso, com a eliminação total da movimentação do pescoço.
A natureza da perca da sensibilidade nestes pacientes faz a investigação de outras lesões mais difíceis. Nestes casos é mandatório que o paciente passe por exame físico completo com investigação baseada em exames suplementares bastante acurados.
Pareceres Médicos:

O parecer médico de um neurocirurgião ou ortopedista é necessário. A prática diária deve determinar qual o melhor procedimento a ser tomado.


ACOMPANHAMENTO

Transferência:


É apropriado transferir o paciente para um Centro Especializado em Traumas onde ele poderá ser melhor assistido por especialistas em Lesão Medular. Entretanto, a transferência só deverá ser seguida após um exame clínico criterioso, inclusive buscando a possibilidade de haver outras lesões no corpo.

Complicações:
Todas aquelas associadas a Lesão Medular.

Prognóstico:
O prognóstico da sindrome de Brown-Sequard é pobre e depende muito da causa da sindrome. O tratamento precoce com altas doses de corticosteróides tem mostrado ser benéfico para pacientes portadores de Lesão Medular.

Autora: Dra. Flavia Fernandes, M.D.


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.