Ultrasom no músculo peitoral?






 
Alguns profissionais não aconselham a aplicação de ultrasom na região de peitoral. Principalmente por causa da proximidade do coração.  
Como o U.S. possui grande dirigibilidade do feixe, pode-se optar pelo tratamento da área usando freqüência de 3MHz ou com intensidades baixas de 1.0 MHz. A intensidade aplicada diminui exponencialmente com a distância devido à absorção e distribuição através dos diferentes tipos de tecido (ou seja, o músculo absorve mais energia ultra-sônica do que gordura  (Dyson, 1985).

A espessura de meio-valor (D/2), ou seja,  a distância percorrida pelo feixe antes que ele seja decrescido pela metade do seu valor original, também é uma forma de calcular a atenuação. Se o tecido a ser atingido está a 5cm de profundidade e estiver usando 2.0W/cm2 a 1 Mhz de freqüência, o tecido em questão receberá 1 W/cm2 o qual é a metade do seu valor (Summer e Patrick, 1964). Assumindo-se que o coração esteja a 4 cm da superfície da pele, uma dosagem de 0.5W/cm2 poderá seguramente ser aplicada.
 

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.