Lesões em coluna cervical







A) Fraturas do côndilo occipital: Em geral, esse tipo de fratura é causado por acidentes envolvendo traumas de alta energia, tais como acidentes automobilísticos e acidentes ocorridos na pratica esportiva. Em função dos tipos de fatores causais, geralmente são acometidos indivíduos jovens, na segunda e na terceira décadas da vida, principalmente os do sexo masculino. Apresentam-se 3 grupos de fraturas do côndilo occipital. Em um primeiro grupo (tipo I), observa-se fratura impactada do côndilo occipital, tendo como mecanismo de trauma a carga axial do crânio sobre o atlas. Em um segundo grupo (tipo II), tem-se a fratura do côndilo occipital como parte de uma fratura da base do crânio, tendo como causa o trauma direto regional. O terceiro grupo (tipoIII) traz a fratura - avulsão do côndilo 

B) Occipital pelo ligamento alar, causada por rotação ou inclinação lateral da cabeça ou pela associação dos dois movimentos. 

C) O tratamento mais indicado para casos tipo I ou II, é o uso do colar tipo Philadelphia. Já para casos tipo III, usa-se uma imobilização mais rígida, com halogesso ou gesso tipo Minerva.

D) Fraturas do atlas: Uma compressão axial (vertical) do crânio sobre o atlas força- o sobre o axis, determinando a ruptura do arco anterior e posterior. O tratamento mais indicado é a redução por tração craniana e imobilização por três a quatro meses. Caso haja ruptura do ligamento transverso, será necessária a artrodese occipito cervical imediato. 

E) Luxações C1 e C2 : Esse tipo de lesão é rara uma vez que só é possível devido a um violento mecanismo de flexão com ruptura do ligamento transverso, causando um traumatismo medular geralmente incompatível com a vida. O tratamento nesse tipo de lesão será sempre cirúrgico. Após a redução são feitos o amarrilho metálico e a artrodese entre os arcos posteriores de C1 e C2.

F) Fraturas do dente do axis: Nessa de lesão são encontradas 3 tipos de fraturas: 

Tipo I: Fratura do ápice do dente do axis, e não apresentam problemas quanto a consolidação.

* Tipo II: Fratura da base do dente do axis, e geralmente são as mais difíceis de se consolidar.

Tipo III: Fratura atingindo o corpo do axis, e costuma se se consolidar bem. 

O tratamento consiste na redução, geralmente por tração e imobilização, que no tipo II deverá ir até 5 meses ou mais.

G) Fratura do enforcado: Também chamado de espondilolistese traumática do axis, é a fratura típica por hiperextensão-distração, na qual há fratura dos pedículos de C2 com deslizamento do corpo dessa vértebra sobre o C3. O tratamento consiste na redução por tração seguida de imobilização com aparelho gessado do tipo Minerva por três meses. 

Coluna cervical baixa: Basicamente as lesões podem ser de 6 tipos:

A) Compressão - flexão

B) Compressão vertical

C) Distração - flexão

D) Compressão - extensão

E) Distração - extensão 

F) Flexão lateral

As lesões traumáticas da coluna cervical exigem tratamento de urgência porque podem ser determinantes de lesão medular ou podem causá -las posteriormente, o que pode resultar em gravíssimas e definitivas incapacidades para o paciente. O tratamento visará reduzir a fratura ou luxação através da redução mediante a tração com halo craniano.


Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Dani

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping