Derrame x Fratura de Quadril







Pacientes que sofreram derrame têm 80% maior risco de fraturar o quadril ou a região da coxa, segundo estudo apresentado esta semana no Simpósio Europeu sobre Tecidos Calcificados. E os riscos seriam ainda maiores para aqueles com mais de 70 anos de idade, que costumam apresentar outros fatores de risco, como osteoporose.

Avaliando mais de 33 mil pessoas – 6,8 mil que já haviam sofrido fratura no quadril –, os pesquisadores da Universidade de Utrecht, na Holanda, descobriram que aqueles que haviam sofrido derrame tinham 79% maior risco de fraturas. E o risco seria três maior nos primeiros três meses após o derrame.

"Os resultados implicam que estratégias que visam prevenir a fratura de quadril devem ser começadas tão logo seja possível após um derrame", destaca o pesquisador Frank de Vries, líder do estudo. Entre as estratégias, segundo o especialistas, incluem-se a avaliação de outros fatores de risco de fraturas, a prevenção a quedas e, se necessário, o uso de agentes protetores dos ossos.

Pacientes hospitalizados por mais de duas semanas por causa de derrame e aqueles que tiveram acidente vascular cerebral hemorrágico também apresentaram maiores riscos de fratura no estudo.

Os autores destacam que, embora o estudo seja observacional, não considerando dados importantes como o tabagismo e o peso, ele é representativo, pois inclui 6% da população holandesa inteira, sem excluir as pessoas pelo status socioeconômico.

Fonte: European Symposium on Calcified Tissues. 25 de maio de 2009.
Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.