Saiba mais sobre a prostatite







A prostatite bacteriana crônica apresenta-se caracterizada pela cultura bacteriológica positiva de secreções prostáticas.

Os sintomas incluem infecções urinárias de repetição, dor lombar ou perineal, mas os pacientes podem também ser assintomáticos. Os agentes causadores mais comuns são Escherichia coli, outros agentes gram-negativos como Enterobacteriaceae, Pseudomonas ocasionalmente e, muito mais raramente, enterococos gram-positivos.

Pacientes com prostatite crônica asséptica podem apresentar dor pélvica ou lombar, associada a urgência miccional, noctúria, redução do jato urinário, polaciúria, disúria, plenitude vesical e inflamação (leucócitos). A maior parte dos casos de prostatite crônica é asséptica.

Há três tipos de prostatite: 

• prostatite aguda infecciosa 
• prostatite crônica infecciosa 
• prostatite não infecciosa

A prostatite aguda infecciosa é causada por bactérias, necessitando de urgente tratamento antibiótico. Os seus sintomas têm início súbito e são geralmente severos, incluindo febre, tremores e ardor miccional. Dos três tipos é a mais fácil de diagnosticar, porque os sintomas imediatamente chamam a atenção do doente e do médico. Uma visita ao médico ou a um serviço de urgência é essencial, sendo a hospitalização por vezes necessária. O tratamento se for precoce, é muito eficaz.

A prostatite crônica é também geralmente causada por bactérias, embora possa também ser devida a fungos ou parasitas. Do mesmo modo, requer medicação com antimicrobianos, mas os resultados são freqüentemente ruins, não se conseguindo a cura da doença. Ao contrário da infecção aguda, os seus sintomas são habitualmente pouco intensos, podendo incluir vontade de urinar freqüente, sensação de urgência urinária, ardor ou dor miccional e eventualmente dor perineal. Muitas vezes,  só há queixas repetidas de uretrite (infecção da uretra) ou de cistite (infecção da bexiga). Se não houver uma história de infecções urinárias, ou pelo menos de uma, não é provável que se trate de uma prostatite crônica infecciosa.

A prostatite não infecciosa é mais freqüente do que a prostatite infecciosa. Pode apenas causar sintomas mínimos, semelhantes ao da prostatite crônica infecciosa, mas não é causada por bactérias nem por outros agentes microbianos. A sua verdadeira causa é desconhecida. O tratamento é muitas vezes difícil, já que a terapêutica antibiótica é ineficaz. São úteis, em alguns casos, tratamentos de ação cientificamente duvidosa mas que conseguem efetiva melhoria das queixas dos doentes. 

O tratamento depende do tipo de prostatite que tenha. Para tratar uma prostatite aguda infecciosa é preciso uma terapêutica antibiótica durante 7 a 14 dias. Quase todas as infecções agudas ficam curadas com esse tratamento. Medicamentos analgésicos devem também ser administrados, para aliviar a dor e o desconforto. Embora raramente, a hospitalização pode ser necessária. 

Se tiver uma prostatite crônica infecciosa, pode precisar de fazer uso de antibióticos por um período muito maior, entre 4 a 12 semanas. Mesmo assim, só cerca de 60% dos doentes ficam curados com este tratamento. Nos casos que não respondem à terapêutica, um esquema com antibiótico em baixa dose e por um longo período pode ser a única maneira de aliviar os sintomas. Em alguns casos, pode ser necessário a remoção cirúrgica da próstata, geralmente feita com técnicas endoscópicas, que utilizam a própria uretra como via de acesso, dispensando o desconforto de uma incisão na parede abdominal. 

Se você sofrer de uma prostatite não infecciosa, não precisa de antibióticos, mas pode necessitar de outro tipo de medicamentos. Por exemplo, os alfabloqueantes, drogas que relaxam o tecido muscular prostático e reduzem a dificuldade miccional, podem ter bastante êxito. Banhos de semicúpio ou uma dieta sem picantes, álcool ou café também podem aliviar os seus sintomas. Embora não haja evidência científica que demonstrem a eficácia destes "remédios caseiros", eles não oferecem riscos, sendo certo que alguns doentes ficam mais aliviados com a sua aplicação.

Finalizando, é importante saber:

• Um correto diagnóstico é a chave do tratamento da prostatite; 
• O tratamento deve ser sempre feito, mesmo quando não tenha importantes queixas ou sintomas; 
• A prostatite é uma doença tratável. Mesmo nos casos em que ela não é curável, você pode ficar aliviado dos seus sintomas durante longos períodos, desde que faça os tratamentos que lhe forem prescritos pelo seu urologista;  
• Não sendo a prostatite uma doença contagiosa, pode ter uma vida pessoal e social completamente normal, nomeadamente continuando a ter relações sexuais;  
• Ter uma prostatite não aumenta o seu risco de ter outras doenças prostáticas, nomeadamente cancro.


Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Faça Fisioterapia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping