Terapia assistida por animais







A Atividade Assistida por Animais, é um método lúdico em que se utiliza o animal na visita em diversos locais, (instituições, asilos, hospitais, lares...) onde através da relação entre homem e animal, é possível proporcionar momentos agradáveis, sensação de bem estar, melhorando o dia a dia dessas pessoas, pois o contato com o animal promove benefícios de ordem psíquica, física e social.

Neste caso o histórico ou perfil do paciente não é exigido, e a sessão pode ser conduzida apenas pelo proprietário do animal.

A Terapia Assistida por Animais, trata- se de um método terapêutico, onde o animal é parte principal da terapia. O objetivo dessa interação homem e animal terapeuta é oferecer aos pacientes diversos estímulos (táteis, visuais, olfativos, auditivos...) e principalmente atuar como agente facilitador das modalidades terapêuticas tradicionais, o que acelera a recuperação dos pacientes, e para aqueles que possuem um animal de estimação, desenvolve-se a questão de responsabilidade como a rotina e os cuidados do dia a dia, como hábitos de higiene, alimentação, lazer entre outros. Podemos ainda dizer que com a TAA, a proximidade com o animal nos possibilita que a pessoa com determinada deficiência, possa melhorar/manter a amplitude de movimento, trabalhar alongamento, força, coordenação motora, proporcionando maior qualidade de vida, reduzindo o “stress”, ansiedade, depressão, estimulando o equilíbrio, a movimentação bem como a percepção espacial e favorecendo a autoconfiança e a auto- estima.

Nos casos de TAA é necessário ter acesso ao histórico do paciente, para que se possa desenvolver um trabalho específico para cada indivíduo, e a terapia deve ser conduzida por um terapeuta e/ ou condutor do animal.

Em 1792 foi criado, intuitivamente por William Tuke, a York Retreat, um centro de tratamento para pacientes com alterações mentais, no qual utilizavam jardinagem, exercícios, e vários animais domésticos para encorajar os pacientes a vestir-se, movimentar-se e comunicar-se, e essa interação trouxe resultados positivos.

Os animais podem agir como poderosos catalisadores sociais, facilitando o contato social. Este efeito é igual em diversas localidades e com animais e donos diferentes na aparência (McNICHOLAS; COLLIS, 2000).

Um psicólogo infantil envolveu em um dos seus estudos seu próprio cachorro com a finalidade de estabelecer uma ponte com as crianças que eram muito introvertidas. Ele comprovou que a criança, ao se importar com seu bichinho de estimação, adquiriu confiança, auto-estima, responsabilidade e autonomia, além de diminuir o estresse, ou seja, a companhia animal pode assistir a criança no seu desenvolvimento continuo (HAVENER et al., 2001).
O simples fato de tocar uma pessoa pode ajudá-la a superar a dor, não apenas fisiológica, mas também a dor emocional. Tal fato pode ser comprovado com uma paciente em estado terminal de câncer. Debilitada e fraca permanecia todo o tempo deitado na cama, recebendo doses de morfina para aliviar a dor. No dia da visita dos animais sentou-se lentamente na cama e acariciou uma cadela, sem queixas de dor ou desconforto. Havia sido o dia mais ativo da paciente (MENCH, 2001).

Qualquer pessoa pode fazer uso da terapia animal: os idosos, adultos ou crianças com problemas psiquiátricos, portadores de deficiência física ou mental, com câncer ou soropositivos e pacientes domiciliares ou hospitalizados. Apesar de a teoria sugerir que pacientes imunossuprimidos, susceptíveis a infecções oportunistas com histórico severo de alergias e problemas respiratórios ou internados nas unidades de terapia intensiva não façam uso da terapia, alguns projetos descrevem visitas a esses pacientes, pois pesquisas revelaram que visitantes humanos transmitem mais infecções aos pacientes do que os animais, quando devidamente limpos e imunizados. A restrição real compete ao paciente que possui medo ou aversão a animais (ANIMAIS ajudam na recuperação, 2001).

Os Benefícios da Terapia e a Atividade Assistida por Animais

Existem muitos estudos que indicam os efeitos fisiológicos positivos gerados nas pessoas que interagem com os animais, e através do trabalho desenvolvido por dois médicos sul africanos, Prof. Johannes Odendaal e a Dra Susan Lehmann obtiveram boas respostas sobre esses mecanismos. Tanto nos humanos com em cães há uma mudança hormonal benéfica que ocorre nas endorfinas beta, phenylethylamina,prolactina,dopamina e oxitocina (interação positiva). Além do bem estar, a liberação dessas substâncias químicas também reduz o cortisol (hormônio do estresse). Num estudo piloto foram caracterizados os efeitos normalizantes, do animal associado à terapia, exercem sobre os aminoácidos dos neurotransmissores em pessoas deprimidas. A realidade é que a relação terapêutica entre animais e humanos foi cientificamente medida e daqui a alguns anos poderá gerar uma mudança nas bases de algumas áreas da medicina. (CÃES, 2006).

Estudos dos benefícios do contato humano com animais mostram que o simples ato de acariciar um cão relaxa o corpo, diminui a freqüência cardíaca e a pressão arterial e estabiliza a respiração.
· Fazer o paciente acariciar, pentear e jogar bola para o cão é um ótimo exercício de coordenação de movimentos, além de ajudar a controlar o estresse, diminuir a pressão arterial e reduzir os riscos de problemas cardíacos, como comprovado pelo estudo onde sugere que a criação dos animais pode causar efeitos relaxantes, evidenciado pela redução da pressão sanguínea e aumento da temperatura corporal (BAUN et al., 1991);
· Constatou-se que os pacientes que cuidavam de animais gastavam 16% a menos de medicamentos e saíam dois dias antes dos hospitais do que os doentes que não mantinham contato com os bichos (BENEFÍCIO animal, 2000);
· O contato com animais aumenta as células de defesa e deixa o organismo mais tolerante a bactérias e ácaros, diminuindo a probabilidade das pessoas desenvolverem alergias e problemas respiratórios (BENEFÍCIO animal, 2000);
· O estímulo do animal faz com que aumente o nível de endorfina, ajudando a minimizar os efeitos da depressão;
· Amor incondicional e atenção, espontaneidade das emoções, redução da solidão, diminuição da ansiedade, relaxamento, alegria, reconhecimento de valor, troca de afeto;
· Dar nomes aos filhotes ou chamar os animais pelo nome são excelentes exercícios fonoaudiológicos a pacientes que possuem dificuldade de falar. Aqueles que não falam são estimulados a produzir expressões vocais;
· Diminui a percepção da dor;
· Aumenta o desejo de lutar pela vida;
· Melhora as relações interpessoais;
· O animal facilita e nutri a comunicação entre o profissional e o paciente;
· Oportunidade de comunicação e sentido de convivência;
· Recreação, diversão e alívio do tédio do cotidiano. Redução da sensação de isolamento;
· Possibilidade de troca de informações e de ser ouvido;
· Sentimento de segurança, socialização e motivação;
· Vínculo e aumento de confiança com o ser humano, com o foco nos participantes da terapia;
· Os benefícios continuam mesmo depois das visitas, através das lembranças e experiências positivas.

Na Obesidade Infanto Juvenil, sabemos que não é só mais um problema estético, motivo de gozação dos colegas, o excesso de peso pode provocar o surgimento de vários problemas de saúde: ortopédicos, pulmonar, endócrinos, doenças cardiovasculares. As crianças em geral ganham peso com facilidade devido a fatores como: hábitos alimentares errados, estilo de vida sedentário, problemas de convívio familiar, distúrbios psicológicos, endócrinos e metabólicos, inclinação genética, entre outros, e tende a se manter a obesidade na vida adulta.

E como conseqüência da obesidade, podemos constatar uma redução significante da qualidade de vida dos indivíduos que não ocorre apenas em função de problemas médicos e fisiológicos, mas também por problemas psicológicos, onde apresentam baixa auto – estima, imagem corporal alterada e por esses motivos acabam se isolando e se excluindo do convívio social.
A Terapia e a Atividade Assistida por Animais têm por objetivo atuar nas conseqüências da obesidade infanto juvenil com base em todos os benefícios já citados.
Os objetivos específicos da TAA e AAA são:

· Proporcionar um bom equilíbrio emocional e corporal;
· Desenvolver e fortalecer funções psicomotoras e força muscular;
· Estimular capacidade de atenção e concentração;
· Desenvolver a autoconfiança e a auto-estima;
· Integrar as famílias, possibilitando a troca de experiências, inclusão social e fortalecimento dos vínculos familiares;
· Trabalhar socialização, interação e relações interpessoais;
· Expressão de sentimentos;
· Melhoria da conduta social;
· Promover a diminuição da sensação de solidão, de inutilidade;
· Melhorar e trabalhar a questão dos limites;
· Fomentar o interesse pela terapia, tratamento e/ou reabilitação;
· Contribuir para a diminuição do foco na dor;
· Evitar a depressão, ou até contribuir para o seu tratamento;
· Permitir a diminuição e o controle da pressão arterial;
· Favorecer a regulação dos batimentos cardíacos;
· Reforçar o contato físico;
· Diminuir os sintomas de estresse e ansiedade;
· Promover a reorganização do quotidiano do paciente;
· Promover e melhorar a percepção que tem de si e dos outros;
· Melhorar o sistema imunológico;
· Motivar para a prática de atividade física;

Todos esses objetivos serão alcançados na medida em que irá ocorrer a aproximação e aceitação geral dos animais pelas crianças, e familiares que estiverem presentes, estabelecendo assim empatia, confiança e carinho pelo animal. Elas poderão escovar, acariciar o pelo do animal, poderão correr com os cães, conduzi-los na guia, aprendendo e ensinando aos mesmos alguns comandos básicos, serão realizadas atividades com arcos, objetos coloridos, bola coleiras, presilhas, escova, etc., em sessões lúdicas de duração em torno de 50min.

O cão terapeuta leva à internalização de valores duradouros como o respeito e o comprometimento, aumenta a sua auto-estima, autocontrole e responsabilidade e a sua presença nas sessões de terapia faz as crianças se sentirem mais seguras em situações de estresse.

O mecanismo mais importante da interação homem-animal se baseia na afetividade e, quanto mais forte a ligação emocional existente, maiores os resultados benéficos obtidos. De acordo com opiniões recentes, a TAA age da mesma forma bioquímica que uma resposta de relaxamento do corpo uma vez que atua na adrenal (produção de epinefrina) e na produção de outros hormônios corticosteróides, o que induz uma redução de pressão arterial, freqüência cardíaca e respiratória, entre outros resultados benéficos. Estes são comparados àqueles observados na meditação e relaxamento, momento em que o cérebro humano entra numa freqüência mais baixa e gera respostas fisiológicas positivas.

Os animais oferecem às pessoas, um elo de ligação com a natureza, contribuem para o desenvolvimento de sentimentos positivos, aquisição de sentimentos de conforto e bem-estar,oferecem momentos de pura diversão e brincadeira com o animal, ao mesmo tempo que é terapêutico, permitem a estimulação mental, emocional e física, a promoção do contato e a troca de afetos (importante em terapia), permitem também a promoção de responsabilidade e oferecem acima de tudo amor e amizade incondicional sem quaisquer tipos de julgamentos.

Cães Terapeutas
· Cães selecionados pelo seu comportamento dócil e meigo;
· Cães adultos;
· Devidamente treinados e rigorosamente avaliados;
· Vacinados, vermifugados e com acompanhamento veterinário periódico;
· Banhos semanais e higienização antes de cada sessão;
· São dessensibilizados. Estes cães em ambientes hospitalares, casas de repouso, asilos, etc, são indiferentes a barulhos, odores, equipamentos e uniforme dos profissionais.

Os animais são sinceros em seus sentimentos, não nos julgam por aparência física, não fazem cobranças não precisam de riqueza e luxo, apenas esperam por alimento, carinho e amor e retribuem com um amor incondicional, podendo até falecer porque seu dono se foi.

“ Bem Estar é: Sentir o pelo macio, o focinho gelado, as lambidas molhadas... é ser recebido com a alegria de um abanar de rabo... É sentir-se amado!”
Adriana Paravati Futema

Dra Adriana Paravati Futema - Fisioterapeuta - dricapf@ig.com.br
Elisângella Grillo – Adestradora
Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.