Métodos terapêuticos para alongar tecidos moles







Existem três métodos básicos para alongar os componentes contráteis ou não contráteis da unidade musculotendínea: alongamento passivo aplicado manualmente ou mecanicamente, inibição ativa e auto-alongamento. O auto-alongamento pode envolver alongamento passivo, inibição ativa ou ambos. Todos os procedimentos de alongamento devem ser precedidos de algum exercício ativo de baixa intensidade ou aquecimento terapêutico para aquecer os tecidos que serão alongados. O tecido cede mais facilmente ao alongamento se o músculo está aquecido quando a força de alongamento é aplicada (KISNER e COLBY, 1998).


Alongamento Passivo

Neste tipo de alongamento, conforme Kisner e Colby (1998), o terapeuta aplica uma força externa e controla a direção, velocidade, intensidade e duração do alongamento dos
tecidos moles, os quais serão alongados além de seu comprimento de repouso, levando assim, estas estruturas além da amplitude de movimento livre e devendo estar o paciente o mais relaxado possível. O alongamento passivo não envolve trabalho por parte do indivíduo, ele relaxa enquanto outra pessoa movimenta o membro em  determinada amplitude de movimento (HILLMAN, 2002).


Inibição Ativa

Inibição ativa refere-se a técnicas nas quais o paciente relaxa reflexamente o músculo a ser alongado antes da manobra de alongamento. Quando um músculo é inibido (relaxado) ocorre resistência mínima ao alongamento do músculo. As técnicas de inibição ativa relaxam somente as estruturas contráteis dentro do músculo, não os tecidos conectivos. Esse tipo de alongamento é possível somente se o músculo a ser alongado tem inervação  normal e está sob controle involuntário. Não pode ser usado em pacientes com fraqueza muscular intensa, espasticidade ou paralisia devido à disfunção neuromuscular (KISNER e COLBY, 1998).


Auto-Alongamento

O auto-alongamento ou alongamento ativo como relatam Kisner e Colby (1998), é um tipo de exercício de flexibilidade que o paciente realiza sozinho. Neste alongamento, o paciente usa seu próprio corpo para produzir alongamento de determinada área. O autoalongamento possibilita aos pacientes manter ou aumentar independentemente a ADM conseguida em sessões de tratamento. Os princípios de intensidade e duração do alongamento que se aplicam ao auto-alongamento são os mesmos usados para o alongamento passivo.

Retirei daqui

Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Faça Fisioterapia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping