Respire sempre pelo nariz, que filtra e aquece o ar até chegar aos pulmões







Respirar é uma ação involuntária, que ocorre sem que o cérebro precise receber algum comando específico. Por ser automático, portanto, o ato é muitas vezes feito de forma inadequada, mais pela boca do que pelo nariz.

Puxar o ar pelo nariz é fundamental, porque ele está mais preparado para receber o oxigênio direcionado ao pulmão. Além disso, a cavidade nasal tem pelos que ajudam a limpar as impurezas do ambiente. Isso sem contar que o nariz ajuda a aquecer o ar, que chega aos pulmões mais próximo dos 37° C, a temperatura média do corpo. Já a boca não apresenta esse poder de filtro nem de aquecimento.

Segundo o pneumologista Rafael Stemach, as pessoas deixam de usar em média de 30% a 40% da capacidade pulmonar total. E faz diferença respirar pela barriga (diafragma) ou pelo peito (pulmões). Na primeira opção, que é a melhor e também usada por cantores, o músculo precisa baixar para o pulmão se expandir e o ar entrar no corpo. Por causa do movimento do diafragma, há uma alteração de pressão na caixa torácica.

A respiração diafragmática ou baixa é aquela que fazemos em um momento de grande esforço físico – numa corrida, por exemplo. Como nessa hora o corpo precisa de mais oxigênio, a ideia é usar o diafragma para preencher todo o volume do pulmão. Nesse caso, além dos músculos laterais, empregamos outro conjunto, mais baixo.

Já a respiração torácica ou alta é aquela que costumamos fazer no dia a dia, em que inspiramos e expiramos sem ocupar o volume total dos pulmões. Apenas alguns músculos próximos às costelas (nas laterais) são usados.

Muita gente confunde a dor lateral do abdômen com problemas de respiração durante o exercício. Quando o corpo entra em uma atividade muito intensa e considera que a oferta de oxigênio não é suficiente, as artérias se contraem para não diminuir a velocidade de circulação sanguínea e ocorre a vasoconstrição (fechamento dos vasos). Nesse momento, o músculo começa a produzir ácido lático para suprir suas próprias demandas, e esse processo causa dor.

Os exercícios de conscientização da respiração, passados pelo preparador físico José Rubens D'Elia e pela fisioterapeuta Maristela Cunha, ajudam na consciência corporal e diminuem o estresse e a ansiedade.

Sentado, coloque uma mão entre o abdômen e o tórax e a outra logo acima. Inspire pelo nariz, puxe o ar e solte pela boca. A barriga tem que subir, mostrando que o diafragma libera mais ar para o pulmão.

As atividades de controle respiratório em tempos aumentam também a capacidade respiratória e facilitam o deslocamento do tórax. A recomendação é fazê-las sentado, puxar o ar pelo nariz em 3 tempos, até encher o pulmão, e soltar de uma vez pela boca.

Sinais de alerta na respiração
- Chiado
- Excesso de esforço para puxar e soltar o ar
- Cansaço e perda de fôlego ao menor exercício


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.