Fratura de quadril em Idosos






http://www.gazetadopovo.com.br/viver-bem/wp-content/uploads/2015/07/smith-prd-meth01-tom_rpc_intraCA5VTCK0-600x493.jpg

O aumento de vida nos idosos não foi capaz de evitar um perigo que provoca mais mortes na população de terceira idade: a fratura no quadril. Tanto que, a Organização Mundial de Saúde (OMS) já considera o índice de casos um problema de saúde pública. No Brasil, estimasse que 100 mil casos aconteçam por ano.

A lesão ortopédica, também denominada fratura do fêmur proximal, é comum em pessoas de idade avançada, derivada do processo natural de envelhecimento e da osteoporose, que afeta os ossos, a agilidade e o equilíbrio. O mais comum é ocorrer durante quedas em ambientes domésticos, mas problemas na postura e na marcha da caminhada também podem provocar acidentes. Os idosos também possuem outras características que os fazem propensos a fraturas: quedas mais frequentes devido ao equilíbrio prejudicado, efeitos colaterais de medicações, dificuldades de visão, metástases ósseas de tumores e menor agilidade para evitar situações de risco.

Fatores de risco da fratura do quadril

  • Entre os fatores predisponentes existe a herança, na verdade, os filhos de pessoas que sofrem esta lesão são mais propensos a quebrar o quadril.
  • As pessoas magras são mais predispostas porque geralmente têm uma baixa concentração de cálcio nos ossos (osteopenia ou osteoporose).
  • O fumo e alcoolismo são outros fatores de risco.
  • Os pacientes com transtornos mentais, neurológicos e visuais são mais propensos a cair e podem ter uma fratura do fêmur.
  • As lesões femorais constituem um alto custo social e econômico para a gestão do paciente idoso.
  • As fraturas do fêmur são muito perigosas, sem cirurgia a mortalidade pode exceder os 30% dos casos.
  • A lesão pode ocorrer no quadril direito ou esquerdo, é rara uma fratura bilateral.
  • A fratura de quadril com luxação é um evento muito raro e ocorre principalmente em caso de acidente. 
Quando ocorre a fratura no quadril, o tratamento é cirúrgico, com fixação de parafusos, pinos, hastes, placas, ou com colocação de prótese de quadril. A reabilitação é feita com fisioterapia, mas depende muito da qualidade do osso. Normalmente é mais lenta em pessoas mais velhas, podendo vir a comprometer órgãos como pulmões, coração e rins e levar a morte.

Para prevenir o problema é preciso adequar o ambiente doméstico a pessoa idosa, retirando todo o objeto que possa representar perigo de queda, como tapetes, fios, escadas. Procurar instalar suportes de apoio no banheiro e pisos antiderrapantes. E, principalmente, realizar tratamento de combate a osteoporose. Conferir a densidade óssea com frequência ajuda a manter a resistência dos ossos. Entre as mulheres em menopausa e homens a partir dos 70 anos, o desequilíbrio hormonal favorece a fragilidade óssea. Se houver histórico de osteoporose, os riscos aumentam. Repor cálcio, vitamina D e mudar a alimentação ajudam a fortalecer esses ossos.

A prática de exercícios físicos também é indicada, pois eles trabalham a musculatura e fortalecem a região dos quadris.


Publicado em 14/11/12 e revisado em 31/07/17


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.