A trombose venosa profunda e os jovens








De repente, as pernas ficam quentes, inchadas, rígidas e doloridas, e a pessoa não consegue andar ou realizar as suas tarefas rotineiras. Essas são algumas das manifestações da trombose venosa profunda, terceira doença cardiovascular mais frequente no mundo. Com uma elevada taxa de mortalidade, o problema compromete significativamente a qualidade de vida, sendo que grande parte das pessoas que desenvolvem a doença é formada por jovens.

A TVP ocorre quando se forma um coágulo sanguíneo (o trombo) no interior das artérias ou veias profundas, obstruindo a veia e impedindo a circulação de sangue no local. O episódio ocorre mais frequentemente na perna ou na coxa, mas também pode atingir outras partes do corpo. O que pode desencadear o processo de trombose como gravidez, uso de anticoncepcional ou hormonas, tabagismo, acidentes, fracturas e traumas, cirurgias e viagens de avião, entre outros.

Ela compromete significativamente a qualidade de vida porque a dor no local impede que a pessoa exerça as suas actividades diárias e requer longos períodos de repouso. Além disso, se não tratada adequadamente, pode desenvolver-se uma úlcera na perna, que  tem grande uma influencia negativa na qualidade de vida dessas pessoas. Além de causar dor e desconforto diários, há dificuldade na manutenção do emprego, na convivência do seu portador não só com os seus familiares como com os seus amigos, pois geralmente essas lesões eliminam secreção que muitas vezes exala odores próprio.

Na fase inicial da TVP, ocorre um processo inflamatório nas regiões próximas, o que causa dor, inchaço, mudança da coloração da pele, aumento da temperatura e endurecimento dos músculos próximos ao local da trombose. No entanto, em cerca de 50% dos casos, o trombo instala-se na veia sem provocar manifestações locais e pode passar desapercebido – o que é uma situação de grande risco.

O tratamento convencional é feito com repouso na cama, medicamentos anticoagulantes e meias elásticas para interromper o processo de formação de novos coágulos dentro das veias.

O tratamento mais recente para a doença é a revascularização endovascular, que reconstrói as veias trombosadas. Nessa técnica, são utilizados cateteres que injectam uma medicação que dissolve os coágulos, e assim as veias são recuperadas e o sangue volta a circular normalmente. Nos casos de tromboses mais antigas, onde os coágulos foram transformados em cicatrizes dentro das veias, pode existir a necessidade de abrir as veias com cateteres ou balões – as chamadas angioplastias – e às vezes até a colocação de próteses metálicas que manterão as veias abertas – os stents.

Para prevenir a doença é preciso em primeiro lugar melhorar o estilo de vida. E para isso a prática frequente de exercícios e uma alimentação equilibrada são fundamentais. Além disso, é preciso manter o peso dentro dos limites saudáveis, não fumar e restringir o consumo de bebidas alcoólicas. Pessoas com predisposição a desenvolver TVP precisam de movimentar-se logo após longos períodos de imobilização (como viagens de avião, por exemplo), depois de cirurgias e quando tiverem necessidade de permanecer em repouso por muito tempo.


Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Faça Fisioterapia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping