Prevenção da trombose em recuperação de grandes traumas







Fraturas por quedas ou acidentes podem provocar trombose

Para quem sofre trauma grave, a trombose é um perigo que pode acontecer. E isso ocorrer por dois motivos principais: pelo impacto nos vasos sanguíneos e pelo tempo que a pessoa fica imobilizada na cama após o acidente.

A trombose costuma se manifestar por meio de dores nas pernas, principalmente nas panturrilhas, podendo chegar até o pé e o tornozelo; sensação de queimação na região afetada; mudanças na cor da pele, que começa a ficar vermelha ou azul; ou inchaço.

Os trombos se formam naturalmente no organismo para conter hemorragias, mas aos poucos se dissolvem espontaneamente e a circulação sanguínea volta ao normal. No entanto, em pessoas que têm disfunções nesse processo de limitar a formação de coágulos e desfazê-los, os trombos podem se formar em locais onde não houve sangramento.
Geralmente, os trombos se formam nas veias mais profundas dos membros inferiores. Quando se desprendem, podem migrar até o coração, alcançando os pulmões pela artéria pulmonar. Ao entrar no pulmão, a artéria pulmonar vai se ramificando, dando origem a vasos progressivamente mais estreitos. É esse estreitamento que impede a progressão do coágulo. Quando o trombo impacta um vaso pulmonar ocorre a embolia ou o tromboembolismo pulmonar.
Em casos de cirurgias de grande porte, o médico provavelmente receitará medicamentos anticoagulantes.
Fique atento aos sintomas da trombose depois de traumas graves, principalmente quando houver fratura nas vértebras ou lesões de medula espinhal.
Pratique exercícios físicos regularmente e evite permanecer muito tempo sentado sem movimentar as pernas, como ocorre nos ambientes de trabalho e nas viagens longas.
Evite o sobrepeso, o fumo e a hipertensão; e consulte seu médico para saber se você está no grupo de pessoas mais vulneráveis a sofrerem desse problema.
Fatores como colesterol alto, hospitalizações prolongadas, obesidade, consumo de álcool e câncer também aumentam o risco de desenvolver trombose.
Portanto, é importante o Fisioterapeuta observar os sinais de aparecimento da trombose quando tiver um paciente com um grande período de acamado ou com lesões nos vasos sanguineos.

Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.