Saiba mais sobre o 'dedo em gatilho'






http://www.orthobone.com.br/site/wp-content/uploads/2013/06/trigger.jpg

Outro dia apareceu um caso clássico de 'dedo em gatilho' no consultório? Mas por que clássico? Por que os dedos estavam flexionados justamente como uma garra e havia o travamento no movimento de dedos.
A mão é formada por ossos que formam o punho (ossos do carpo), a palma da mão (metacarpos) e dedos (falanges)
Para que os movimentos aconteçam precisamos dos músculos, que se fixam aos ossos pelos tendões. No caso das mãos, temos músculos curtos e bem próximos aos ossos e também músculos com tendões longos que formam alavancas para mover os dedos das mãos.
Para que o movimentos desses músculos com tendões longos seja mais "suave"  eles são envolvidos em "capas" chamadas bainhas sinoviais. E algumas "polias" agrupam os tendões para favorecer a força e direção dos movimentos. Estas polias são chamadas de túneis.
dedo-em-gatilho
Uma vez inflamado, o tendão pode tornar a passagem por baixo da bainha mais apertada, ficando "preso" nesse ponto e "engatilhando" (travando) o dedo nessa posição. Desta forma, o túnel que anteriormente continha tendão e bainha sinovial de tamanhos normais, fica apertado (ou estenosado). Daí o nome científico para esta lesão ser tenossinovite estenosante.
Principais sintomas do "dedo em gatilho"

– Aumento de volume do dedo afetado (edema);
– Dor na base dos dedos ou também na palma da mão;
– Redução ou paralisação de movimentos do dedo acometido;
– Endurecimento do dedo;
– "Estalido" doloroso parecido com um gatilho ao tentar esticar o dedo.

Classificação da síndrome de acordo com a gravidade do bloco
O dedo em gatilho é um distúrbio que pode ser de diferentes entidades e pode variar de muito leve a casos muito graves. A este respeito, Green fez uma classificação da gravidade do dedo em gatilho que é extremamente útil na abordagem terapêutica e divide a magnitude da perturbação em quatro classes:

Classe 1: O paciente se queixa de dor, existe um edema, um inchaço causado pelo acúmulo de líquido que é capaz de executar movimentos muito irregulares e os movimentos de flexão e extensão dos dedos da mão são muito difíceis. Ainda não está presente o bloqueio e o tratamento é conservador, se baseia em terapia física e terapia medicamentosa.

Classe 2: O bloco está presente, mas pode ser corrigido através da flexão ativa do paciente, ou seja, com o "clique" o paciente consegue colocar o dedo em sua posição. Nesta fase o clique ocorre especialmente nas primeiras horas da manhã. Também neste caso o médico escolhe um tratamento conservador.

Classe 3: Nesta fase, o bloqueio está presente mas é apenas corrigível passivamente. Isto significa que ocorreu o estalo o paciente é incapaz de mover o dedo na sua posição original sem a ajuda da outra mão. Neste caso, a abordagem terapêutica é principalmente do tipo cirúrgico.
Classe 4: O bloqueio presente nesta fase não é corrigível ativamente nem passivamente e o dedo permanece preso na fase extensa. Ainda, nesta fase, o médico geralmente considera adequado intervir cirurgicamente.
O dedo em gatilho está geralmente associado como movimentos repetidos, impacto ou vibração, decorrentes de atividades manuais, profissionais ou esportivas. Algumas outras doenças tembém podem predispor o problema como a artrite reumatóide ou diabetes.
A fisioterapia é bastante indicada é o recursos mais utilzado é o Ultrassom, para melhora da inflamação e redução do espessamento do tendão.
A orientação de posicionamento adequado das mãos, bem como o alongamento e massageamento dos músculos da palma da mão (especialmente ao redor dos tendões envolvidos) já podem ser realizados mesmo na fase aguda.
À medida que a inflamação melhora e a dor diminui, o paciente tende a abandonar o tratamento fisioterapêutico. No entanto, esta fase final é fundamental para que sejam identificados os movimentos que levaram à inflamação, assim como instabilidades articulares ou fraqueza muscular.


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.