Saiba mais sobre a Dor Pélvica






http://vilamamifera.com/fisioterapiafeminina/wp-content/uploads/sites/28/2013/06/1..jpg

Embora homens também possam apresentar dor crônica pélvica, esse é um problema comum em mulheres, debilitante e difícil de tratar. Mais de 50% das mulheres tem sintomas urinários em alguma época das suas vidas. A dor pélvica crônica é responsável por 10 a 15% dos encaminhamentos aos serviços de Ginecologia, 25-35% das indicações de laparoscopias e 10 – 15% das indicações de histerectomia. A cistite intersticial e a prostatite estão entre as muitas patologias associadas à dor pélvica crônica. Estima-se que a cistite intersticial acometa 20% das mulheres.

A dor pélvica e a dor posterior baixa são sintomas relativamente comuns, principalmente por estarem relacionados etiologicamente com mais de uma centena de doenças – desde daquelas que são de origem infecciosa até as inflamatórias inespecíficas, passando pelas que são decorrentes de alterações osteomusculares carências, funcionais, pelas neoplásicas e pelas de causas indeterminadas.

Em se tratando de dor pélvica, implica-se em considerar duas categorias de abordagens: a primeira é a mecânica que como causa de dor, esta relacionada às alterações estruturais da parte posterior baixa, das articulações dos quadris e das articulações sacrilíacas; e, a segunda, são as orgânicas entre as quais estão incluídas as seguintes estruturas: o intestino grosso, a bexiga, os órgãos genitais internos e todo o complexo muscular do diafragma pélvico cujas disfunções podem provocar dor pélvica

Frequentemente o paciente é capaz, com suas informações, de guiar o profissional para diagnóstico etiológico da dor, pelo menos no que diz respeito sobre ser a origem mecânica ou orgânica.

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.