Dor na lombar: o MMA de todo dia!






boxe-lombalgiaQueixas de dores na região lombar (lombalgia), segundo estudos atuais realizados por americanos e australianos, tem um índice significativo quando o assunto é incapacitação por dor e aposentadoria antecipada por invalidez.

Alguns dados que vão deixar você de queixo caído:

– A lombalgia afeta 9,4% da população mundial, incluindo crianças, segundo estatísticas;

– No Brasil, de 2000 a 2011, a lombalgia tem relação direta ou indireta com os 2º, 3º e 4º lugares em pesquisa realizada pelo Ministério da Previdência Social;

– Em 2010, o estudo Carga de Saúde Global concluiu que a dor lombar é a principal causa de incapacidade do mundo;

– Segundo ranking realizado pela OMS (Organização Mundial de Saúde), as lombalgias representam 10,7% do total de YLDs ("anos vividos com incapacidade).

As causas? Fatores genéticos, sedentarismo, má postura, excesso de peso, tabagismo, ambientes e interações desfavoráveis no trabalho, questões emocionais próprias e de relação com o próximo, estresse, anemia, alterações do sistema genitourinário interno, atividade física, atividade terapêutica (o que serve para um pode não servir para o outro, certo?), distúrbios do sono etc. Enfim, são tantas possibilidades que, muitas vezes, a dor lombar estará lá e a causa não será especificada ("dor lombar inespecífica").

E você nunca se perguntou por que o "José" sente dor fazendo uma determinada ação e o "João" não? Se você pensou "Porque José e João são pessoas diferentes" e se considerou muito óbvio, anime-se: você acertou! E, claro, como somos a favor dos direitos iguais, "Maria" e "Fátima" estão na mesma situação – uma sente dor intensa e a outra somente um incômodo.

A dor lombar vem sendo um desafio tão grande para os pesquisadores que os mesmos criaram um sistema de divisão (subgrupos) para ajudá-los a entender os "porquês" de um grupo X serem diferentes de um grupo Y.

Uma grande conclusão já foi dada a partir daquela velha história de que "somos seres biológicos integrados" e, nessa luta, a equipe precisa estar alinhada com os aspectos físico, cognitivo, psicológico, neurofisiológico, social e de estilo de vida.

É preciso estudar os gestos da luta e do adversário, treinar, manter o foco e persistir positivo. "Só ganha quem se arrisca a perder" e só se arrisca quem sai da zona de conforto.

Um grande vencedor é feito de mudanças acordadas com uma grande equipe, não é verdade?!

"It's tiiiime!"

Quer saber mais sobre dor lombar? Confira o vídeo abaixo legendado por pesquisadores da UFRJ e criado como modelo educativo pelo Canadá.

https://www.youtube.com/watch?v=7wCS2j02e-g&feature=youtu.be

Paula Marrafa

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.