Saiba mais sobre a insuficiência cardíaca congestiva






 http://www.minutoenfermagem.com.br/uploads/posts/182/insuficiencia-cardiaca-congestiva.jpg

A insuficiência cardíaca (IC) ou insuficiência cardíaca congestiva acontece quando  a quantidade de sangue que o coração é capaz de bombear a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as necessidades de oxigênio e nutrientes de todo organismo.

O processo que resulta na ICC é gradativo e os eventos têm a seguinte sequência:

1. O bombeamento insuficiente do coração leva a uma congestão de sangue no interior das veias que chegam ao coração,

2. O acúmulo de sangue nas veias, associado à retenção de líquidos pelos rins, levam ao inchaço (edema) dos tecidos do corpo.

3. O inchaço inicialmente afeta as pernas, mas pode subir e também atingir os pulmões (causando dificuldades para respirar) e em outros tecidos e órgãos (levando à "barriga d'água, dores abdominais, pouca urina, etc).

4. O cansaço leva à falta de ar, à fraqueza muscular, à diminuição da atividade física e consequente invalidez.

Os principais sintomas da insuficiência cardíaca então são: cansaço, falta de ar anormal durante o esforço, sonolência, confusão, edema, ganho de peso, etc

O diagnóstico da insuficiência cardíaca consiste em primeiro lugar em detectar os sintomas, seguido por um exame clínico. O médico também pode realizar uma radiografia, eletrocardiograma, a fim de avaliar a função cardíaca.

A causa mais comum de dilatação e disfunção do músculo cardíaco é a doença arterial coronariana (miocardiopatia dilatada isquêmica), a qual  limita o fluxo sanguíneo para o miocárdio pela presença de placas de gordura, podendo ainda acarretar angina do peito ou infarto do miocárdio, que são outras manifestações comuns da doença.

A insuficiência cardíaca congestiva é freqüentemente a fase final de outra doença do coração como:

1.     Doença Coronariana (levando à angina e ao Infarto agudo do coração);

2.     Hipertensão arterial (que pode se complicar com os derrames cerebrais);

3.     Doença Valvular do Coração (incluindo a doença reumática do coração);

4.     Síndromes Congênitas ("de nascença") do Coração;

5.     Miocardiopatias (doença do músculo do coração);

6.     Infarto Agudo do Miocárdio (ataque cardíaco);

7.     Arritmias Cardíacas (problemas onde o coração bate sem controle – mais rápido, mais devagar ou sem ritmo),

8.     Exposições Tóxicas, incluindo o uso abusivo de álcool.

9.     Hipertireoidismo, Diabetes e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (Bronquite) também são fatores de risco para a ICC. Todas estas desordens podem conduzir à insuficiência cardíaca congestiva debilitando o músculo do coração.

Classes funcionais da IC (níveis de gravidade)
Chamamos de classe funcional a avaliação do grau de limitação física causada pela doença. A classificação mais aceita é a da New YorK Heart Association ( NYHA ):
- Classe I:
São pacientes com disfunção cardíaca observada no ecocardiograma, no entanto, não há falta de ar ou este sintoma só aparece com a realização de grandes esforços.
- Classe II:
São pacientes que apresentam falta de ar com qualquer esforço acima  dos habitualmente realizados.
- Classe III:
São pacientes que apresentam falta de ar aos mínimos esforços, como pentear os cabelos.
- Classe IV:
São pacientes que apresentam falta de ar mesmo ao repouso.
Para evitar a insuficiência cardíaca congestiva você tem que prevenir as várias formas da doença do coração que a conduzem. Para a doença coronária do coração, significa ingerir uma dieta de baixo teor de gordura, controlar a hipertensão, manter o peso do corpo normal e um baixo nível de colesterol no sangue. Significa também adotar um programa de exercícios regulares e não fumar. A insuficiência cardíaca congestiva devido ao hipertiroidismo pode ser prevenida com medicamentos ou cirurgia. Infelizmente, algumas causas de insuficiência cardíaca congestiva não podem ser prevenidas.

Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.