A junção lombossacra






http://3.bp.blogspot.com/_sMZRq3G3MpQ/TT8wpCEtWNI/AAAAAAAAABk/i75su3FUVDY/s1600/Imagem1.jpg

A junção lombossacra tem uma característica em particular: a base do sacro está inclinada para frente, havendo grandes variações de ângulos de um indivíduo para outro, e isto é mais marcado na postura ereta, onde a articulação está submetida a um grande esforço de abertura pelo peso corporal sobreposto. O corpo de L.5 e o disco L.5/S.1 são um pouco menos altos atrás do que na frente. Este conjunto está disposto em forma de curva, sendo côncava para trás. As superfícies dos processos articulares estão em plano quase frontal. Esta junção está reforçada fortemente pelos ligamentos iliolombar e sacrolombar.

http://www.webrun.com.br/multimidia/fotos/2011/20110906_131031_g.jpg

Vamos saber mais um pouco sobre a coluna lomar e o sacro, que fazem parte desta junção.

A coluna lombar

Os corpos são volumosos, de forma oval e côncava para trás.
A coluna lombar tem um disco espesso, de um terço do corpo, o que lhe confere um grande grau de mobilidade. Os corpos são volumosos, de forma oval e côncava para trás.

Os processos transversos são longos e são chamados de "costiformes". Nas suas extremidades, encontram-se um tubérculo. Os processos articulares ultrapassam o comprimento do corpo da vértebra em cima e embaixo, com uma parte central reduzida: o istmo.

Em cima, eles têm a forma de uma cavidade cilíndrica voltada medialmente e um pouco para trás; embaixo, a forma de um cilindro maciço, voltado lateralmente e um pouco para frente.

As superfícies articulares são verticais, mas as lombares superiores são cada vez mais frontais, indo para as lombares inferiores, e totalmente frontais na junção lombossacral. As espinhas das vértebras são curtas e maciças, permitindo uma boa amplitude de extensão.

Assim, temos que a coluna lombar permite boa amplitude em flexo - extensão, em inclinação lateral e pouca mobilidade em rotação.

A região lombar tem como função a sustentação do peso. Todas as compensações de movimento entre as colunas lombar e cervical ocorrem na região dorsal, sejam elas estáticas ou dinâmicas.

O sacro


O sacro é um osso mediano e posterior da pelve, situado entre os dois ossos da pelve, os ilíacos. Tem a forma de um triângulo e é formado pela fusão de cinco vértebras. A sua face pélvica é côncava e no centro vemos a forma dos corpos vertebrais, separados por linhas transversas, que representam os discos. A parte mais alta salienta-se para dentro da pelve, região chamada de promontório sacro. Lateralmente, há os forames sacrais pélvicos, que se prolongam para fora por meio de sulcos. Destes sulcos, saem os ramos anteriores dos nervos sacrais. A face superior apresenta, no centro, o platô sacral, ou base do sacro, sobre o qual se coloca o disco L5/S1 e a quinta vértebra lombar. Atrás do platô encontra-se o canal sacral que é a continuação do canal vertebral e, lateralmente, temos as asas do sacro.

A face dorsal do sacro é convexa. Da linha mediana para fora, bilateralmente, encontram-se a crista mediana do sacro (fusão das espinhas); em seguida, o sulco sacral (fusão das lâminas); depois, a crista intermediária do sacro (fusão dos processos articulares). Mais lateralmente, os forames sacrais dorsais, de onde emergem os ramos posteriores dos nervos sacrais; e, para finalizar, a crista lateral do sacro (fusão dos processos transversos).

A face lateral é um pouco triangular. Nela há uma superfície articular em forma de "meia-lua", um pouco côncava: a faceta auricular ou aurículo do sacro.

Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Faça Fisioterapia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping