Header Ads


Principais disfunções de quadril e a fisioterapia








A articulação do quadril consiste em uma articulação formada pelo acetábulo e a cabeça do fêmur. Essas estruturas são cobertas de cartilagem que permite que os movimentos sejam feitos. O quadril realiza os movimentos de flexão, extensão, abdução, adução, rotação interna e externa, além do movimento de circundação.

Devido sua localização, seu desenho e a sua função, a articulação do quadril transmite cargas verdadeiramente altas, com propriedades elásticas e compressivas.

Elas podem atingir até oito vezes o peso do corpo, o que foi demonstrado nesta articulação durante uma corrida, com cargas bem maiores durante uma competição atlética. Felizmente, sob condições normais, as estruturas anatômicas do quadril envolvidas neste exemplo são totalmente adaptadas para dissipar estas forças.

Além de fornecer estabilidade, esta junta permite um grau muito elevado de mobilidade. Desta maneira, atividades que envolvam o quadril, deverão estabelecer um equilíbrio fino, entre a mobilidade e a estabilidade. Qualquer desequilíbrio entre estas duas variáveis poderá deixar a articulação e os tecidos periarticulares, propensos a lesões, bem como ocorrer síndromes impactantes ou disfunções articulares.

Em alguns, casos as lesões podem ser tratadas com a fisioterapia, no entanto, quando há um desgaste irreversível do quadril pode ser necessário fazer uma artroplastia do quadril para restabelecer os movimentos da articulação e alivia a dor. o acompanhamento de um fisioterapeuta é essencial para a recuperação dos movimentos. Ainda assim, após a cirurgia, o profissional de fisioterapia será importante pois irá estabelecer os limites do paciente para iniciar um plano de tratamento com a intenção de restabelecer a força e o equilíbrio.
Entre os exercícios usados para a reabilitação de um paciente que se submeteu a cirurgia de artroplastia de quadril estão: exercícios ativos, fortalecimento, propriocepção, treino de marcha e hidroterapia.

A quantidade de exercícios deve ser aumentada de acordo com a capacidade do paciente em realizar os movimentos. O tratamento fisioterápico é indispensável para a recuperação do paciente após a artroplastia do quadril. É importante buscar um profissional que compreenda bem os mecanismos da cirurgia para que não ocorram complicações.

Problemas mais frequentes

Se você notou um desconforto na região dos quadris, não hesite em procurar um fisioterapeuta ou médico para que seja feita um diagnóstico disfuncional e inicie o tratamento. As causas que mais acometem homens e mulheres são:

  • Bursite Trocantérica

Corresponde a uma inflamação da bolsa que está presente lateralmente ao fêmur em sua parte proximal e ocorre devido a um atrito de um tecido fibroso da coxa sobre o osso.

  • Tendinopatias

Pode ser uma inflamação ou até mesmo um processo degenerativo de alguns tendões em torno do quadril. Essa dor causada pela tendinopatia limita o movimento do paciente, o que dificulta realizar as tarefas do dia a dia.

  • Osteonecrose

Quando há morte de células ósseas provocadas quando ocorre uma interrupção do aporte sanguíneo ao fêmur. A pessoa pode chegar a perder seus movimentos.

  • Fraturas

As fraturas são mais frequentes em mulheres acima de 65 anos, tendo as quedas como principal motivo.

Conheça esse guia sensacional de PIlates na Disfunção de Quadril





Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia

Tecnologia do Blogger.