Biomecânica da Articulação Glenoumeral








A articulação glenoumeral propicia a realização de vários movimentos que podem ser realizados isoladamente ou de forma combinada:
  • Flexão e extensão;
  • Adução e abdução;
  • Adução e abdução na horizontal;
  • Rotação interna e externa.
A flexo-extensão é realizada no plano sagital ao redor de um eixo frontal, sendo a flexão máxima de até 180º e a extensão o movimento inverso. A abdução ocorre no plano frontal ao redor de um eixo sagital com liberdade de até 180º. Nesse plano, adução é possível apenas com 30º a 45º de amplitude quando associada a uma extensão.
Outro movimento da glenoumeral é a rotação, podendo ser realizada em qualquer plano com seu grau de amplitude dependendo diretamente do grau de elevação do braço. A partir de 90º de uma abdução podem ser realizados os movimentos de adução e abdução na horizontal. Estes são realizados num plano horizontal ao redor de um eixo vertical.
A amplitude máxima de movimento na abdução do úmero depende da coordenação existente entre o úmero e a escápula, já apresentada como ritmo escapuloumeral. Portanto, a partir da posição anatômica, o movimento de abdução completa se realiza com a participação conjunta da:
  • Articulação glenoumeral;
  • Articulação escapulotorácica;
  • Tronco.
Durante a abdução de 180º existe uma relação de 2:1 do movimento do úmero em relação ao da escápula tanto em posição anatômica, rotação interna ou externa.
A flexão anterior do braço propicia um deslocamento do tendão do supraespinhal sob a borda do acrômio anteriormente ou ligamento coracoacromial. Desta forma, uma abdução ou flexão anterior do úmero ocasionará na projeção do supraespinhal, no nível de inserção, sob essas estruturas.
A elevação do úmero ocorre pela ação conjunta entre o músculo deltoide e manguito rotador, sendo o músculo deltoide (porção anterior) motor primário na flexão e os músculos deltoide (porção média) e supraespinhal motores primários na abdução.
Além disso, tanto o manguito rotador quanto o deltoide realizam importantes funções biomecânicas durante a elevação do braço. O movimento só é possível por causa das forças contrárias vetoriais exercidas por eles.
Durante a flexão ou abdução do braço, o deltoide realiza uma força no sentido superior que eleva a cabeça do úmero. Em contrapartida, os músculos do manguito rotador se contraem de forma a centralizar a cabeça umeral e deslizá-la inferiormente, impossibilitando assim um atrito ou impacto da cabeça contra o arco coracoacrômial ou sobre o próprio manguito.
Desta forma, qualquer alteração anátomo-patológica que interfira nesse mecanismo de sinergia muscular ou que comprometa a biomecânica normal do ombro, de forma que o músculo deltoide prevaleça sobre o manguito rotador, poderá ocasionar microlesões traumáticas de origem inflamatória.
Conheça esse  CURSO ONLINE onde ensina-se a reabilitar o ombro que possui o diagnóstico de Capsulite Adesiva também conhecida como "Ombro Congelado", a Síndrome do Impacto, o pós-operatório do ombro e a Fibromialgia.

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.