Fisioterapia na Lesão Medular







Uma lesão na medula espinhal é, como o próprio nome diz, qualquer tipo de dano causado à medula, que é parte fundamental do sistema nervoso central. Essas lesões podem ocorrer quando há danos às células dentro da medula ou quando os nervos que correm para cima e para baixo na medula são lesionados. Muitas causas podem estar envolvidas em uma eventual lesão na medula.

Os principais fatores de risco que podem levar a uma lesão na medula espinhal incluem a participação em atividades físicas perigosas, o não uso de equipamentos de proteção individual durante essas atividades e os mergulhos em águas rasas.

Osteoporose pode enfraquecer os ossos da coluna, facilitando a ocorrência de uma lesão na medula. Pacientes que sofrem de outros problemas médicos que os deixam mais suscetíveis a quedas por causa de fraqueza ou descoordenação (um AVC, por exemplo) também são mais propensos a traumas nessa região.

As consequências dependerão da altura da lesão. Quanto mais alta a lesão, mais grave a incapacidade. Por exemplo, lesões na altura do pescoço ou ombros podem levar a uma tetraplegia (perda do jogo e sensibilidade nos braços, tronco e pernas), além de afetar a respiração e até mesmo a fala e deglutição, lesões mais baixa levam à uma paraplegia ( perda do jogo e sensibilidade somente nas pernas ou parte do tronco). A lesão causa dependência, flacidez e perda de massa muscular na região afetada, incontinência urinária e fecal e problemas vasculares devido imobilidade. Além das consequências físicas, o fator psicológico é extremamente afetado e deve ser cuidadosamente tratado.

A fisioterapia terá que ser intensa e iniciar já no hospital estendendo até à casa e convívio deste paciente. O principal objetivo será ajudar o paciente e sua família a lidar com a nova condição física do mesmo e ensina-lo a usar estratégias que lhe devolvam sua maior independência em casa, no trabalho e lazer. Mobilidade, alongamento, força, equilíbrio e independência funcional serão os norteadores do tratamento. Prevenção de doenças respiratórias e problemas vasculares também tem que ser abordados durante o tratamento, bem como possíveis disfunções sexuais e urinárias.

A interação do paciente com o profissional e a comodidade do tratamento domiciliar ajudarão o mesmo a aceitar a doença e ter força de vontade para mudar esta situação. É importante a participação de toda família, amigos e uma equipe multiprofissional competente na reabilitação. O fisioterapeuta também deverá treinar a família e cuidadores quanto a organização ideal da casa do paciente, orientar se necessário o uso de órteses, dispositivos de marcha, móveis adaptados, vestuário adequado, dentre outras necessidades que possam surgir.

O nível da lesão condiciona o grau de recuperação do paciente. Lesões próximas à área superior da coluna causam deficiências mais incapacitantes do que aquelas que ocorrem na área inferior. Mas quando ocorre recuperação de algum movimento ou sensação no período de uma semana após a ocorrência da lesão geralmente indica boas chances de recuperação de outras funções - embora isso possa levar um tempo indeterminável.

Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.