Liberação miofascial é parte do tratamento de Fisioterapia







As fáscias musculares são compostas de tecido conjuntivo e foram por muito tempo consideradas apenas como o mero revestimento dos músculos. Desde a década de 30, vários autores vêm salientados a possível importância das fáscias no movimento humano, sem, no entanto apresentar bases científicas sólidas. Mais recentemente, alguns cientistas voltaram sua atenção para o sistema de fáscias, tendo feito importantes descobertas sobre suas propriedades.

Hoje, a pesquisa do tecido conjuntivo é um campo promissor e já podemos ter uma idéia da enorme complexidade da anatomofisiologia das fáscias e suas relações com o movimento. As técnicas de Liberação Miofascial estão embasadas nestas novas concepções científicas e vão sendo atualizadas em função destes novos conhecimentos. A eficácia do emprego da LMF observada clinicamente reflete a real importância das fáscias musculares na produção do movimento humano normal.
Como a fáscia permeia todas as regiões do corpo e está toda interconectada, quando cicatriza e endurece em uma área, ela coloca tensão e, portanto, dor em outras áreas do corpo próximas a uma restrição fascial. Cicatrização e endurecimento da fáscia em uma região do corpo podem ser secundários a lesões traumáticas, inflamações e doenças. É quase sempre uma questão que deve ser abordada após a cirurgia. Algumas pessoas têm sintomas de dor bizarros que parecem não estar relacionados com o local da lesão original, mas se você encontrar um fisioterapeuta que trate as restrições miofasciais, é possível identificar e usar a liberação miofascial para tratar a maioria dos pacientes que atravessam a porta.
O músculo fornece o maior volume para o tecido mole do corpo e é também um dos sistemas corporais mais importantes que os fisioterapeutas tratam. Por causa disso, o primeiro passo é identificar qual a fáscia do músculo que está se arrastando e causar a queixa de dor primária. Um bom exemplo que pode ressoar com algumas pessoas é a dor lombar crônica; embora a região lombar seja a principal queixa, pode ser dolorosa devido a um aperto gradual dos músculos e da fáscia no pescoço, que está se estendendo até a coluna vertebral.
Como outras técnicas de fisioterapia, a liberação miofascial será associada a um plano de exercícios, incluindo alongamentos, exercícios de amplitude de movimento e fortalecimento. Se houver uma condição dolorosa, lesão ou reabilitação pós-cirúrgica que você esteja experimentando e não estiver melhorando com outras formas de fisioterapia ou tratamento, procure um fisioterapeuta que trate as restrições miofasciais
Conheça o curso Liberação Miofascial - Ventosas + Instrumental+ Manual + Acessórios
O curso Liberação Miofascial - Ventosas + Instrumental+ Manual + Acessórios  traz teoria e muita prática, com rolo, terapia manual, hook e ventosas. Tudo isso tendo como base os conceitos de Trilhos Anatômicos de Thomas Meyers.  Traçando um paralelo entre a mobilização e a questão das posturas, desvios posturais, dores, e atividades como Pilates, Musculação, Funcional e Yoga.  Clique aqui e saiba mais!

Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.