Atuação da Fisioterapia em Hipertensos




Olá, eu sou a Dani e esse texto fala sobre Atuação da Fisioterapia em Hipertensos. Antes de começar a lê-lo, siga o blog nas redes sociais: Instagram, Facebook e Twitter. Você também pode entrar nos grupos de Whatsapp ou no grupo do Telegram . Agora, vamos à leitura!




Apesar de ser pouco divulgado, o profissional de fisioterapia pode auxiliar o paciente hipertenso na melhoria da saúde, realizando formas de tratamentos individuais e visando a qualidade de vida. Os exercícios proporcionados também diminuem o risco de ter uma doença grave no futuro.  

Esse acompanhamento terapêutico pode ser feito através de exercícios de duração, intensidade e frequência. Se estas atividades forem feitas regularmente, o indivíduo consegue diminuir a dosagem de seus medicamentos ou deixar a hipertensão controlada sem fazer o uso dos mesmos.

O tratamento da hipertensão arterial divide-se em duas categorias: o tratamento farmacológico e as modificações do estilo de vida, tais como: perda da massa corporal, adoção de uma rotina de exercícios físicos, diminuição no consumo de sal, além da diminuição ou abolição da ingestão de bebidas alcoólicas. No contexto da mudança no estilo de vida, a atuação da fisioterapia tem promovido benefícios na prescrição e orientação da prática de exercícios físicos regularmente, através de programas de exercícios com equipe interdisciplinar, com o objetivo de adequar os exercícios as diferentes condições clínicas do paciente e melhorar o controle dos níveis pressóricos e prevenir seqüelas da HAS.

A prescrição de exercícios na HAS deve ser individualizada, de acordo com as condições clínicas e cardiológicas, as habilidades e aptidões, o grau sociocultural do indivíduo. A prescrição de exercício físico para hipertensos deve ser realizada somente após a realização da anamnese que inclui informações e dados clínico, medidas de peso e altura, circunferência abdominal, Índice de Massa Corporal (IMC), flexibilidade, força muscular, teste de esforço máximo se possível, com medida de gases expirados. O programa deve se basear em resultados obtidos em testes ergométricos, com monitorização da curva de PA, através da qual se verificam respostas anormais ao exercício. O nível atingido de PA na prova de esforço é também recurso subsidiário essencial para a determinação da intensidade do exercício proposto e seu acompanhamento.

Os princípios gerais para a prescrição de exercícios são válidos para os portadores de hipertensão. Recomenda-se que a atividade física deve sempre ser realizada, respeitando as seguintes fases: período de aquecimento, período de condicionamento e desaquecimento tanto para a segurança quanto para a saúde dos pacientes

A atuação do fisioterapeuta, assim como de cada profissional da saúde, exige a elaboração de um diagnóstico específico voltado às peculiaridades da sua intervenção. No caso do fi sioterapeuta, em que a avaliação tem como objetivo identificar, quantificar e qualificar distúrbios cinético-funcionais sensíveis a abordagem fisioterapêutica, ou seja, procuram-se pontos (capacidades e incapacidades), a partir de parâmetros visíveis e concretos da atividade funcional, em geral mensuráveis, como segurar um objeto, deambular, inclinar-se, levantar-se, entre outros.

A fisioterapia é uma profissão que está associada imediatamente com a reabilitação, por sua maior relação com a medicina física e a fisiatria. Sua missão principal é a ajuda na avaliação da capacidade funcional do paciente, a administração de tratamentos para evitar a dor, corrigir ou minimizar as deformidades e melhorar a saúde geral do cliente

Indivíduos com HAS devem adotar atividade física, como uma das medidas de mudanças do estilo de vida, podendo, até mesmo, ser liberados para a prática de esportes competitivos, desde que não apresentem lesões em órgãos-alvo ou cardiopatias associadas. Os profissionais da área de saúde e fisioterapia devem estar atualizados a respeito desses conceitos, para que possam desenvolver estratégias para o estímulo à aquisição e à manutenção da prática de exercícios.

O fisioterapeuta quando integrado à atenção básica pode contribuir com o monitoramento, controle da HAS através da realização de exercícios supervisionados, além da busca ativa de casos que pode ser realizada pelo profissional de fisioterapia, quando o mesmo está integrado a uma equipe multiprofissional que assiste a uma determinada população.




Você não pode perder


Tecnologia do Blogger.