Tecido Conjuntivo e Fascia







http://2.bp.blogspot.com/_NaVh2kiPJp0/TNQDphlJdWI/AAAAAAAAA0I/HoqQcOsgQAE/s1600/miofascial.jpg 
 O órgão que transmite os movimentos no corpo, que cria toda a nossa estrutura espacial, é o tecido conjuntivo. Este tecido, ao mesmo tempo macio e duro, forma o que Ida Rolf chamava de órgão da estrutura. Cada músculo, cada fibra muscular e também os organismos viscerais e neurológicos são envolvidos pelo tecido conjuntivo, chamado também de fascia.

As fascias se estendem pelo corpo desde os ossos, recobrindo e entranhando todas as estruturas, até "envelopar" todo o corpo em uma camada contínua, logo abaixo da pele, que é chamada de fascia superficial.

Mudanças tanto físicas quanto químicas, em qualquer parte desta extensa rede miofascial, serão sentidas de alguma forma em toda a rede, através de sua organização continuada.
Recorrendo a uma forma muito precisa e especial de tocar a estrutura, os rolfistas se utilizam dessa rede miofascial como uma via pela qual são produzidas mudanças espaciais e funcionais em todo o corpo.

O Método Rolf de Integração Estrutural é um processo de reeducação corporal através da manipulação do tecido conjuntivo. Em uma série de dez sessões, cada uma com objetivos estruturais específicos, o corpo é liberado dos padrões de stress causados por problemas físicos e emocionais. A Integração Estrutural pode ser traduzida como a arte de esculpir o relacionamento ideal entre a gravidade e o corpo humano, organizando os músculos ao redor de um eixo vertical. À medida em que essa relação evolui, os desconfortos físicos crônicos diminuem. Como o comportamento e as emoções estão diretamente ligados à estrutura, a experiência da Integração Estrutural atinge todas as áreas da vida: física, mental e emocional.


TECIDO CONJUNTIVO E FÁSCIA

O óvulo fecundado diferencia-se em três sistemas funcionais, ectoderma, endoderma e mesoderma, nessa mesma ordem cronológica.

Na chamada Integração Estrutural a preocupação é relativa aos desvios das estruturas derivadas do mesoderma. Em qualquer corpo humano, a posição do espaço físico é determinada por elementos derivados do mesênquima (uma subdivisão do mesoderma), especificamente osso, músculo, ligamento, tendão e fáscia.

A fáscia é uma lâmina de tecido conjuntivo contínua que se espalha como uma teia tridimensional , sem interrupção , através do corpo . A maioria de suas fibras são arranjadas longitudinalmente da cabeça ao pé. Existem também fibras em orientação transversal na base do crânio , no hióide , na abertura superior do tórax e no diafragma respiratório e pélvico , que agem para suportar o corpo .

Funcionalmente , a fáscia está em volta de todas as estruturas do corpo e então ajuda a suportar e proteger todas essas estruturas . Ela cria uma separação entre órgãos , ossos , vasos condutores e músculos. A fáscia também cria espaço para estruturas delicadas como nervos e vasos condutores do sangue e linfa.

Quando submetida a um esforço contínuo e excessivo, a fáscia se adensa, engrossa e perde a elasticidade, tornando-se mais curta ao se recuperar. Com o adensamento do tecido, as relações entre os músculos ficam prejudicadas e o corpo adota um novo padrão postural para se adaptar à nova situação, visto que as áreas mais espessas transmitem tensão em muitas direções, e sua influência é sentida em pontos distantes, assim como o nó em uma malha pode distorcer a malha inteira.

À luz da Integração Estrutural, a fáscia forma um tecido intrincado coextensivo ao corpo, fundamental para o corpo, fundamental para seu bem-estar e fundamental para o seu desempenho.

Há vários tipos de camadas fásciais. A fáscia superficial é um tecido fibroareolar que contém a maior parte das gorduras do corpo. Ela pode esticar-se em qualquer direção e ajustar-se rapidamente a tensões de todos os tipos. A fáscia profunda é uma camada mais densa. No corpo saudável, sua cobertura lisa permite que as estruturas vizinhas deslizem umas sobre as outras. Todavia, depois de doenças inflamatórias ou processos traumáticos, as camadas aderem umas às outras, como se estivessem "coladas". Tendo ocorrido isso, elas não deslizam mais, mas fazem com que as camadas adjacentes sejam repuxadas umas sobre as outras, contribuindo assim para a exaustão geral e tensão.

Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia



COMENTE O POST

Coloque no Google Plus

About Dani

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

Shopping