Para tratamento da celulite, vale até tomar choque!








Quando a celulite passa dos limites e atinge camadas profundas da pele, os furos e depressões se tornam perceptíveis à distância. Resistentes aos tratamentos tópicos, esses casos - classificados pelos médicos como graus 3 e 4 - podem ser tratados com um furinho. O da subincisão.
A técnica, um tratamento cirúrgico feito com anestesia local, consiste em cortar as traves de fibrose da celulite e pode ser feita com agulha, cânula ou fio de aço. "A vantagem do fio de aço é que, por ser muito fino, corta tudo por onde passa. Com a agulha nem sempre é assim. Além disso, deixa menos hematomas", explica a médica Celia Bheatriz David, da clínica Unique System Moema.

Após o procedimento, é preciso usar uma cinta e evitar tomar sol por um mês. O local pode ficar roxo por aproximadamente 15 dias e dolorido. O resultado final é visível depois de três meses.

Ultra-som com choquinhos

Leves choquinhos, que não chegam a incomodar, percorrem por no máximo 20 minutos a área afetada pela celulite. Massagem, esfoliação e substâncias que ajudam na queima da gordura também fazem parte do processo. Assim funciona o tratamento com o Manthus, um aparelho que combina ultra-som com três cabeças - e que promove a quebra das células adiposas em partículas menores - e corrente polarizada - que possibilita a eliminação dessas partículas pela urina.

O local em que o Manthus é aplicado fica ligeiramente quente e a pele, macia e lisinha. O aparelho pode ser aplicado em qualquer região do corpo, sem efeitos colaterais como dor, inchaço ou picadas. Em média, são necessárias dez sessões.

Gesso vitaminado

Envolver o bumbum em gesso e deixar que ingredientes como cafeína, acerola e abacaxi deixem a região no ponto certo para o verão. Assim funciona a terapia com bandagens de gesso.

Na primeira sessão, é feita drenagem linfática corporal e esfoliação, que elimina as células mortas e permite melhor penetração das substâncias ativas. Embora todas tratem em conjunto celulite, flacidez e gordura localizada, é preciso avaliação da terapeuta, que vai designar a bandagem ideal, já que cada uma tem um princípio ativo mais acentuado.

"No bumbum, as que mais utilizo são as de cafeína e elastina, e alterno com crioterapia, bandagens frias de mentol e eucalipto", diz a terapeuta Cassia Proença, da Clínica Loriti Breuel. "A elastina estimula a formação de fibras elásticas, melhorando o tônus e dando firmeza ao bumbum. A cafeína tem extrato de centella asiática, ginko biloba e é antiinflamatória".

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.