Pilates é fisioterapia ou condicionamento físico?







 
Você estava com dor e seu médico indicou Pilates? Percebeu mudança na postura de alguém por estar fazendo Pilates? Quer malhar e modelar seu corpo, sem carregar peso repetitivamente? Possui algum desvio na coluna e sente incomodo ao fazer esforço físico? Tem interesse em saber com quem ou onde fazer Pilates?

Apesar de parecer que temos todas as respostas e soluções milagrosas de suas indagações, não é bem assim, a intenção é de partilhar algumas dicas sobre o Pilates, para você tomar uma atitude.

Responder essas perguntas é ter uma visão multidisciplinar do movimento. É considerar uma técnica corporal que contempla a diversidade e busca a cumplicidade das áreas de conhecimento, a exemplo, a medicina física e esportiva, da reabilitação, da pós-reabilitação e do fitness.

Pilates é um método de tonificação muscular, realinhamento postural e alongamento corporal que integra corpo e mente, criado pelo alemão Joseph H. Pilates (1880-1967). Visando o movimento consciente sem fadiga e dor, baseia-se em seis princípios: a respiração, o controle, a concentração, o fluxo de movimento e a precisão.

Modalidades de Pilates e quem está qualificado para ensinar? Inicialmente sugere-se garantir sua escolha diante a identificação da formação e certificação em Pilates do profissional em questão de acordo com a modalidade desejada.

O Pilates reabilitação é indicado para tratamento pós-cirúrgicos, dores agudas, patologias articulares diversas (torsão, estiramento muscular, artrose, tendinites) e sequelas neurológicas (derrames, parkinson, distrofia muscular) e devem ser orientados por fisioterapêutas e profissionais de áreas afins da saúde, em atendimento individual.

Para o Pilates pós-reabilitação (postural) e fitness o ideal é o Pilates Estúdio com aulas personalizadas realizadas em grupo e individual com profissionais da área do movimento, ou seja, dançarinos, educadores físicos, dentre outros.

As aulas de Pilates reabilitação, postural, circuito e fitness caracterizam-se pela utilização de acessórios (bolas, tubos e discos proprioceptivos) e principalmente pelo uso de equipamentos de mecanoterapia denominados de reformer, trapézio, wall unit, cadeira, barril e step barril, que tem como função auxiliar o movimento consciente ao estimular, facilitar e desafiar a execução de forma assistida e resistida. Existe também aula de Pilates de solo, sem equipamentos, direcionada para quem possui domínio corporal por serem aulas mais avançadas.

Quem pode praticar?
O perfil dos praticantes abrange dos sedentários aos atletas de elites (esportistas e dançarinos), dos que apresentam dor e desvio postural aos que desejam manter e melhorar a performance física, possuindo a faixa etária de 10 anos à terceira idade.

Onde praticar?
Atualmente pelo reconhecimento e difusão do método, podem existir estúdio de Pilates em academias de dança e de ginástica, em espaços terapêuticos e alternativos, em clínicas e hospitais e estúdios particulares. Na realidade, o importante é saber qual a sua necessidade e procurar o profissional devidamente certificado e qualificado para atendê-lo.

Pilates também é prevenção.
Sendo assim, consideramos que o método Pilates tanto pode ser praticado por fisioterapêuta para tratamento de pacientes com síndromes e patologias dolorosas, como ser ministrado por dançarino e educador físico para desenvolver a aptidão física e postural tornando o corpo flexível, equilibrado, coordenado e integrado. Mas, para além dessa pretensão de enquadrar o Pilates num lugar específico da formação e da ciência, o que não se propõe como filosofia e essência. É, correlacionar o homem contemporâneo e os possíveis benefícios que o método pode proporcionar, que, não se restringe somente a curar e desenvolver qualidades físicas, corporais e posturais, mas favorecer a educação corporal preventiva.

Prevenir doenças osteomusculares independente da formação, da atividade profissional, idade ou sexo, através de exercícios pensantes é buscar a melhoria da qualidade de vida diária e profissional. É, sobretudo, preparar o corpo para se mover sabiamente diante as solicitações e estímulos nervosos, físicos e mentais proveniente da sociedade tecnológica, evitando o estresse, os vícios posturais e a falta de movimento (hipocinesia). É, por excelência, compreender que o movimento inteligente é saúde e a perda ou restrição a doença.
_______________________________________________________________________________
Márcia Santiago pós-graduada e licenciada em dança na UFBA, certificada em Pilates pela Polestar Education/ Physio Pilates. Membro da equipe Multidisciplinar do Ambulatório da Dor do Hospital das Clínicas-UFBA, Diretora e instrutora da Physio Pilates-Vilas, Educadora da PhysioPilates/Polestar responsável na formação de instrutores de Pilates no Brasil e América Latina e Professora do curso de Educação Física da Faculdade Social da Bahia e da Escola de Dança da FUNCEB.


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.