Função da Coluna Vertebral








Resultado de imagem para coluna vertebral conhecimentos

A coluna vertebral é uma parte muito importante do corpo humano, isso pois a mesma é responsável por uma grande parte da locomoção do corpo, além de sustentar grande parte do peso corporal e ainda a posição bípede.

Ela é formada por 33 vértebras, cujo conjunto tem a função de apoiar outras partes do esqueleto. Cada vértebra é constituída de corpo, forame e um processo espinhoso, um prolongamento delgado da vértebra; e ligada às demais por articulações denominadas discos intervertebrais. Estes discos são formados por um material fibroso e gelatinoso, composto por um núcleo pulposo e ânulo fibroso. São eles que dão ao indivíduo a mobilidade necessária para a locomoção, atuando como amortecedores.

Sua estrutura é diferenciada evolutivamente e especializada para favorecer o desempenho de funções, onde a principal função está relacionada à mobilidade. Porém, também é suporte a aspectos como a viabilidade e manutenção da postura ereta do tronco, possibilitando agilidade e movimento dos membros superiores e inferiores; atua na proteção de órgãos e vísceras vitais proporcionado com auxilio das costelas; promove absorção e dissipação de choques mecânicos e pressão gravitacional; proteção da porção ramificada do sistema nervoso central (medula).

A anatomia biomecânica da coluna vertebral é muito importante porque a coluna é o eixo corporal e constitui um complexo importante de ligação entre as duas cinturas: a escapular e a pélvica. Durante sua função estática a coluna é simétrica e perpendicular às duas cinturas.

Na estática, quando existem forças sem movimento, uma coluna saudável terá seus ligamentos e tensores musculares equilibrados e relaxados. Eles só funcionarão para manter o equilíbrio estático diante do movimento oscilatório do tronco quando estamos em pé. Essas estruturas se contraem e relaxam logo em seguida.

Assim, o equilíbrio é restabelecido. Se os músculos não puderem relaxar após a contração exercida para o reequilíbrio, ele adoecerá.

Na função cinética da coluna qualquer movimento que ocorre entre as duas cinturas gera uma regulação automática de tônus dos músculos estabilizadores do tronco.

Também percebemos a ativação de um complexo sistema de compensação postural. Isso gera deslocamentos gravitacionais importantes. Quando ocorre qualquer encurtamento surge fraqueza muscular ou alterações posturais significativas.

A coluna vertebral sofre constantemente um dilema contraditório. Ela precisa ser rígida o suficiente para ter suporte da compressão axial exercida pela força gravitacional e massa do indivíduo. Porém, também precisa manter sua mobilidade para que os movimentos aconteçam de forma organizada segundo a anatomia biomecânica da coluna vertebral.

Para que isso ocorra a coluna tem que manter equilibrada suas três funções:

Estática: exercida pelos corpos e discos vertebrais, principalmente pelas fáscias musculares;
Cinética: feita pelos músculos;
De proteção: efetuada pelo canal vertebral.

A manutenção equilibrada da postura estática e um controle dinâmico adequado são condições fundamentais para nosso corpo responder de maneira eficiente às demandas impostas.

Conceitualmente, estabilidade pode ser definida como: a habilidade da articulação retornar ao seu estado original, após sofrer uma perturbação.

Imagem relacionada

Subsistemas da Coluna

Vindo de encontro com as ideias abordadas neste artigo sobre anatomia biomecânica da coluna vertebral, um estudo a respeito da estabilidade articular da coluna vertebral, diz que o sistema de estabilização da coluna incorpora três subsistemas:

Passivo
Ativo
Neural

O subsistema passivo é composto pelas estruturas ósseas, articulares e ligamentares.

Ele contribui para o controle próximo ao final da amplitude articular, onde desenvolve forças reativas que resistem ao movimento. Entretanto, em torno da posição neutra da articulação, ele não oferece nenhum suporte estabilizador significativo.

O subsistema ativo contempla as estruturas musculares quando desempenhando suas funções contráteis. Este, diferentemente do primeiro, atua na obtenção mecânica da estabilidade mesmo a partir da posição neutra. Ele é capaz de modular sua resistência ao longo de toda amplitude de movimento da anatomia biomecânica da coluna vertebral.

O terceiro subsistema, o neural, é aquele que monitora e regula de forma contínua as forças ao redor da articulação. É baseado na organização armazenada no córtex cerebral.

O comportamento não linear das estruturas ligamentares em torno da posição neutra a tornam uma região de elevada frouxidão ou baixa rigidez. A zona neutra permite que os deslocamentos ocorram com o mínimo de resistência interna de estruturas passivas.

Quando uma lesão ocorre nos subsistemas passivo ou ativo teremos um aumento não fisiológico da amplitude da zona neutra. A atividade muscular é capaz de minimizá-las e mesmo restaurar os limites fisiológicos. Perceba que as musculaturas possuem um papel fundamental na busca por estabilidade.

A compreensão dos mecanismos cinesiopatológicos, que envolvem o desenvolvimento das disfunções musculoesqueléticas, é fundamental para a definição de estratégias para sua prevenção, tratamento e treinamento.

Por esse motivo, busca-se o entendimento das instabilidades articulares. Elas são apontadas como risco para potenciais lesões teciduais, e componente básico de inúmeros processos degenerativos e álgicos.



Quer aprender a tratar Coluna Vertebral sem dúvidas?

Conheça a  mais completa certificação em coluna que você pode fazer!  São mais de 300 vídeo aulas, livros complementares e dezenas de conteúdos extras. Clique na imagem abaixo e veja o conteúdo!


Publicado em 31/01/09
Atualizado em 30/04/19

Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.