Transtorno obsessivo compulsivo (TOC)






O TOC é um transtorno onde a  pessoa fica perturbada por um padrão de pensamentos indesejáveis associados a comportamentos repetitivos.

Embora a causa exata do Transtorno Obsessivo-Compulsivo ainda esteja em pesquisa, os cientistas acreditam que haja mudanças no funcionando das vias do cérebro que estão envolvidas no julgamento, no planejamento e nos movimentos corporais. Influências ambientais, como relações familiares, ou acontecimentos estressantes também parecem ter significância. O Transtorno Obsessivo-Compulsivo afeta aproximadamente 2% a 3% das pessoas no mundo inteiro.

Quase 70% das pessoas com Transtorno Obsessivo-Compulsivo têm os primeiros sintomas antes dos 25 anos de idade, embora só 15% delas desenvolvam sintomas depois dos 35 anos de idade. Há evidências que a doença tenha uma base genética, pois aproximadamente 35% das pessoas com Transtorno Obsessivo-Compulsivo têm um parente próximo com este problema. Embora 50% a 70% dos pacientes desenvolvam o Transtorno Obsessivo-Compulsivo depois de um evento estressante da vida — como uma gravidez, uma perda de emprego ou uma morte na família — os pesquisadores ainda não entendem exatamente como ou por que o stress parece ativar os sintomas desta doença.

Às vezes, pessoas com Transtorno Obsessivo-Compulsivo conseguem viver com suas obsessões sem dar qualquer sinal que elas estão sofrendo. Porém, normalmente elas tentarão aliviar suas obsessões desenvolvendo algum tipo de compulsão: um "ritual" persistente: repetitivo que tem por objetivo acalmar seus medos. Por exemplo, uma mulher que tem uma obsessão por achar que sua casa está suja e desorganizada, poderá limpá-la e organiz´´a-la a cada 30 minutos. Um homem que anseia que a porta de seu carro não está fechada corretamente, poderá conferir e até forçar a fechadura 10 ou 20 vezes a cada vez que desce do veículo. Embora também seja possível que uma pessoa com Transtorno Obsessivo-Compulsivo execute atos compulsivos que não são ativados por obsessões, isto não é muito comum.   

Quadro Clínico
Os dois principais sintomas do Transtorno Obsessivo-Compulsivo são as obsessões e os "rituais" compulsivos. As Obsessões são pensamentos persistentes, repetitivos, que provocam ansiedade e que interferem na vida cotidiana e que causam sentimentos de angústia e também irrritação para com as outras pessoas. Embora as obsessões possam variar de pessoa para pessoa, elas freqüentemente se concentram em um ou mais dos seguintes itens:

Medo de contaminação — Uma pessoa com Transtorno Obsessivo-Compulsivo pode preocupar-se constantemente que tem as mãos ou roupas sujas, ou terem medo de pegar ou de esparramar germes. Em alguns casos, este medo de contaminação se estende também à atividade sexual. A pessoa pode achar que o sexo é sujo, até mesmo entre o marido e sua esposa.

 Medos relacionados a acidentes ou atos de violência — Uma pessoa com Transtorno Obsessivo-Compulsivo pode ter pensamentos obsessivos relacionados a medos de se tornar vítima de violência ou sofrer algum tipo de lesão corporal. Por exemplo, ela constantemente pode preocupar-se que a porta da frente não está fechada, que o forno não foi desligado, ou que o cigarro não foi completamente apagado.

 Medo de cometer um ato de violência ou de ter um comportamento sexual impróprio — Uma pessoa com Transtorno Obsessivo-Compulsivo pode ter medo de perder o controle e prejudicar os outros, ou de cometer algum tipo de ato sexual prejudicial ou embaraçoso. Por exemplo, uma mãe amorosa com Transtorno Obsessivo-Compulsivo pode sofrer de pensamentos obsessivos quanto a sufocar seu filho, ou um homem de negócios respeitável pode ter medo de tirar, de repente, suas roupas no meio de uma reunião importante.

Medo de perder a organização ou a simetria — Alguém com Transtorno Obsessivo-Compulsivo pode ter uma necessidade obsessiva de ter ordem e precisão, e pode sentir-se muito ansioso se até mesmo o menor detalhe do seu mundo esteja fora do lugar. Por exemplo, a pessoa pode ficar transtornada se seus sapatos não estiverem corretamente "alinhados" no lugar de costume,  ou se a comida não estiver "organizada corretamente" no prato de jantar. Normalmente, um adulto com Transtorno Obsessivo-Compulsivo reconhecerá que estes pensamentos obsessivos vêm de sua própria mente e tentará ignorá-los, suprimi-los ou irá obter alívio desses pensamentos executando um "ritual" compulsivo.

Rituais compulsivos são comportamentos persistentes, excessivos, repetitivos que visam reduzir o medo e a ansiedade ativados por um pensamento obsessivo. Por exemplo:

·     Lavar as mãos ou tomar banho repetidamente;
·     Recusar apertar mãos ou tocar a maçaneta das portas;
·     Conferir repetidamente as fechaduras ou o interruptor dos fogões;
·     Compulsivamente contar postes na rua;
·     Organizar compulsivamente meias ou roupas nas gavetas;
·     Comer certos tipos de comida em uma ordem específica;
·     Compulsivamente repetir uma palavra específica ou uma oração.

Ocasionalmente, quase todo mundo se sente compelido a re-checar uma porta fechada, ou ter certeza que suas mãos estão limpas. Estes pensamentos isolados não são sintomas de Transtorno Obsessivo-Compulsivo. As obsessões e compulsões do Transtorno Obsessivo-Compulsivo são excessivas e angustiantes. Elas interferem com a vida cotidiana normal, porque consomem tanto tempo, desperdiçando às vezes várias horas do dia da pessoa. Elas podem interferir com as relações sociais, como também afetar o desempenho no trabalho ou na escola. Algumas compulsões podem causar até mesmo danos físicos. Por exemplo, lavar compulsivamente as mãos pode deixar as mãos rachadas e causar dermatites.

Diagnóstico
Muitas pessoas com Transtorno Obsessivo-Compulsivo consultam o clínico geral primeiro quando a compulsão começa a afetar sua saúde ou sua vida cotidiana. Por exemplo, um adulto com compulsão para lavar as mãos pode visitar o dermatologista por causa das rachaduras e sangramento nos dedos; ou um pai pode consultar o pediatra quando sua filha com Transtorno Obsessivo-Compulsivo começa a tomar banho quatro ou cinco vezes ao dia. O humor deprimido é muito comum no Transtorno Obsessivo-Compulsivo. Na realidade, a pessoa pode falar principalmente sobre sentir-se deprimido, porque os sintomas do Transtorno Obsessivo-Compulsivo o envergonha e é mais difícil de discutir.Se o médico suspeita de que o problema seja uma doença psiquiátrica, ele revisará a história clínica e pedirá ao paciente que descreva suas atuais ansiedades e tensões recentes. O médico poderá então encaminhar ao psiquiatra para tratamento. O psiquiatra diagnosticará o Transtorno Obsessivo-Compulsivo baseado em uma avaliação que deveria incluir:

·     Fazer perguntas sobre os pensamentos obsessivos e os comportamentos compulsivos
·     Avaliar o nível de angústia psicológica da pessoa
·    Determinar o impacto das obsessões e compulsões na vida e nas relações cotidianasDescartar se os sintomas não são de outras formas de doença psiquiátrica.

Tratamento
O Transtorno Obsessivo-Compulsivo normalmente é tratado com uma combinação de psicoterapia e medicamentos.

Qual médico procurar?
Como os sintomas do Transtorno Obsessivo-Compulsivo raramente desapareçam sem tratamento, deve-se marcar uma consulta com o psiquiatra sempre que pensamentos obsessivos ou compulsões causam angústia significativa ou chegam a incomodar, interferindo com a capacidade da pessoa de ter uma vida normal em casa ou no trabalho; ou que esteja causando alguma lesão.
Em geral, o tratamento concomitante com psicoterapia é bem aconselhável.

Prognóstico
Como o transtorno obsessivo compulsivo é uma doença crônica, é importante fazer o acompanhamento psiquiátrico constante. Muitas vezes, durante o tratamento psiquiátrico e psicológico, o paciente tem uma "melhora" e deixa o tratamento, podendo assim regredir para o estado anterior.
Geralmente, os resultados após um período curto de tratamento, são bem eficazes.

Fonte: Departamento de Psiquiatria da Universidade de São Paulo
Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.