Quando um fisioterapeuta é atendida por outro fisioterapeuta








Eu precisei de Fisioterapia algumas vezes na minha vida, assim como quase todo mundo irá precisar um dia. Embora as áreas mais comuns das pessoas "conhecerem" a fisioterapia seja a traumato-ortopédica/reumatológica, a pneumológica ou a neurológica, com o crescimento de outras áreas como a Dermato-Funcional, será cada vez mais comum a inserção de fisioterapeutas na vida das pessoas. E arrisco-me a dizer que se tivéssemos uma visão mais preventiva do que curativa da saúde, essa inserção seria muito maior.

A primeira vez que eu tive contato com a fisioterapia foi na adolescencia para tentar curar um problema de coluna. Segundo o ortopedista, eu tinha que fazer exercícios específicos e fazer uso de um colete de ferro para "alinhar" minha coluna. Nunca o usei. Nunca mai voltei a fisioterapia. Esse uso do colete de ferro assustou mamãe na época.

Após essa primeira experiência, precisei da Fisioterapia para curar as inúmeras entorses que eu tive nos dois tornozelos que o voleibol me proporcionava.

Mas a diferença que tinha de tratamento quando eu falava que era fisioterapeuta ou profissional de educação física era gritante para os outros pacientes. Gritante e engraçada, diga-se de passagem. E não foi só com um profissional. Embora eu não estivesse, enquanto paciente, avaliando o tratamento, o cuidado dos 4 profissionais que lembro da conduta fazia ter a impressão que meu tratamento era diferente.

Mas por que eu estou falando isso? Tenho uma hérnia cervical que inclusive me fez diminuir o ritmo de trabalho dentro da fisioterapia para eu ter mais qualidade de vida. Como é uma coisa que me atrapalha quando há uma tensão eminente, prefiri como tratamento o RPG e a mudança do ritmo e diminuição da carga de trabalho. Mas, voltando ao assunto, procurei um tratamento de RPG no estado onde eu moro. Fiz a avaliação e no meio do atendimento de RPG, percebendo que o direcionamento do profissional não era o método porque eu realizo atendimentos de RPG, perguntei qual era o método que estava sendo utilizado e quando o profissional disse que era RPG, perguntei de que escola. Eu não sei descrever a cara de susto do rapaz. Falei, calmamente que eu era Fisioterapeuta, pós graduada, especializada em RPG. Ele alegou que estava fazendo uma introdução ao método, acelerou o término da sessão e hoje recebi a ligação que o Dr Fulando que iria me atender, ao invés do Dr Cicrano.

O que você acha dessa história. Escreva aí no campo dos comentários ou comente nas Redes Sociais.


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.