Fisioterapia na lesão do Ligamento Cruzado Posterior






http://www.centraldafisioterapia.com.br/bd_imagens/522014152352.jpg

O ligamento cruzado posterior (LCP) é um importante estabilizador do joelho, e está localizado no interior da articulação. Dispõe-se em diagonal desde a parte posterior e lateral da superfície articular da tíbia até à parte anterior e medial do sulco inter-condiliano do fémur. O LCP controla os movimentos de deslizamento posterior da tíbia sobre o fémur.

As lesões no ligamento cruzado posterior são raras e requerem a aplicação de uma força considerável. Acontece sobretudo quando o joelho dobrado bate contra o painel do carro num acidente de viação, ou bate contra o chão quando um atleta cai para a frente sobre o joelho. Devido ao seu mecanismo lesivo, as rupturas do LCP são mais frequentes em jovens que praticam desportos de contato, como futebol, handebol ou basquetebol.

Estas rupturas podem ser classificadas segundo a sua gravidade em:

Grau I (leve). Também chamada de distensão. É um estiramento que causa apenas lesões microscópicas nos ligamentos.
Grau II (moderada). Um estiramento mais severo, que causa uma ruptura parcial do ligamento.
Grau III (grave). O ligamento é completamente rasgado por um estiramento brusco, geralmente durante um acto desportivo ou num acidente.

Uma boa avaliação do fisioterapeita, incluindo uma história clínica e exame atento do joelho são geralmente suficientes para diagnosticar a ruptura do LCP. Uma ecografia ou RM podem ser pedidas para confirmar o diagnóstico e avaliar a gravidade da lesão.

O tratamento em fisioterapia, nas primeiras 48 a 72 horas após a lesão e enquanto o diagnóstico não está confirmado, consiste e controlar os sinais inflamatórios, através de:

Descanso: Evite caminhar ou estar muito tempo de pé. Se tiver de o fazer utilize canadianas. Andar a pé pode significar um agravamento da sua lesão.

Gelo: Aplique uma compressa de gelo na área lesada, colocando uma toalha fina entre o gelo e a pele. Use o gelo por 20 minutos e depois espere pelo menos 40 minutos antes de aplicar gelo novamente.

Compressão: um joelho elástico pode ser usado para controlar o inchaço.
Elevação: A perna deve ser elevada um pouco acima do nível do seu coração para reduzir o inchaço.

Analgésicos e anti-inflamatórios não-esteróides poderão ser receitados pelo médico para controlar o processo inflamatório e aliviar as dores.

Deve-se levar em conta que todas as atividades aplicadas pelo fisioterapeuta serão determinadas pelo mesmo, assim como o início de cada uma e o tempo de duração, sempre respeitando a evolução do quadro do paciente.

O profissional:

- Faz uma proteção na tíbia (osso da canela);

- Imobiliza todo o joelho;

- Aplica alongamentos;

- Aplica exercícios isométricos de quadril e tornozelo com imobilizador, sem carga e com aplicação de gelo;

- Auxilia no ganho de amplitude de movimento;

- Aplica exercícios isotônicos de quadril e tornozelo com imobilizador e com carga;

- Marcha com descarga total de peso;

- Retira o imobilizador após um tempo;

- Trote, corrida e fortalecimento muscular global;

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.