Saiba mais sobre Lesões no Menisco








O joelho sofre flexão, rotação lateral, extensão e permite movimentos em sete eixos. Os meniscos são as estruturas que garantem o funcionamento normal da articulação do joelho. As lesões meniscais são muito frequentes, associam-se a um desgaste progressivo da cartilagem articular e podem ser caracterizadas quanto à natureza degenerativa ou traumática. Na primeira, a incidência é em pacientes acima dos 40 anos. No caso das lesões meniscais por traumas são muito comuns durante as forças de torção no joelho em pessoas ativas e jovens – em sua maioria. Esse surgimento de lesões meniscais nas posições onde o joelho se dobra com o peso do corpo em cima dele são as principais ocorrências. No caso frequente de atletas, destacam-se situações de desaceleração ou mudança de direção durante uma corrida (quando o indivíduo precisava parar ou alterar o sentido da corrida bruscamente) e os casos de alteração da direção após um prova de salto (os pés voltam a se apoiar no solo e o joelho, consequentemente, se dobra para amortecer a queda).

Elas causam sintomas característicos como dor bem localizada com períodos de alivio e agravo a determinados movimentos como agachar e cruzar as pernas, inchaço, e bloqueio (travamento).
A dor aguda é causada pelo menisco lesionado ("rasgado") que puxa sobre a cápsula da articulação sinovial bem inervados. Inchaço resulta de inflamação da membrana sinovial e derrame (popular "agua no joelho")por excesso de produção de líquido sinovial.
Lesões meniscais são muito comuns e podem ser traumáticas agudas, como, por exemplo, durante uma luta de jiu-jitsu ou degenerativas. Lesões traumáticas ocorrem classicamente durante a forças de torção no joelho em pessoas ativas jovens. A posição clássica é a do joelho flexionado ao extremo como, por exemplo, quando o individuo esta agachado ou ajoelhado que sofre entorse repentino.
Lesões degenerativas ocorrem como parte do desgaste progressivo em todo o conjunto, mais frequentemente em pacientes acima de 40 anos. Estas lesões são de clivagem, geralmente horizontais com mínima capacidade de cura.

As lesões podem ser descritas como sendo completas ou incompletas, estáveis ou instável e de vários padrões.

Quanto à sua morfologia (figura a esquerda), podem ser verticais, longitudinais (incluindo "alça de balde" onde o fragmento rasgado pode bloquear a extensão total da articulação do joelho), oblíqua / bico de papagaio ou "flap" lesões radiais ou horizontais.

A maioria é composta de lesão vertical ou oblíquo (80%). O menisco medial é mais comumente afetado – 75% contra 25% no menisco lateral, 5% dos pacientes terão lesões bilaterais.
Alguns tipos de lesões podem provocar uma ação semelhante a válvula dentro da substância do menisco, e isso pode levar à formação de um cisto meniscal, que deve ser tratada da mesma forma, abordando o problema principal que é a lesão do menisco. A chance da formação de um cisto meniscal no menisco lateral é 7x maior que a do menisco medial.

A história clínica é muito útil. O exame médico revela que a palpação da articulação e do menisco é dolorosa.

Um teste útil é o teste de McMurray que consiste na compressão com rotação da tíbia em relação ao fémur, que permite sentir ou ouvir um estalido na linha articular.

A radiografia simples não permite visualizar o menisco mas permite excluir outras causas de dor no joelho como a osteoartrite.

A ressonância magnética permite uma melhor caracterização e classificação das lesões dos meniscos.
O tratamento com a Fisioterapia busca, inicialmente, reduzir a dor e o edema (inchaço). A seguir o foco dos procedimentos é levar o paciente ao retorno de sua capacidade móvel do joelho, até conseguir esticá-lo totalmente. Nessa fase é aplicado um programa de exercícios direcionados ao aumento das amplitudes articulares. Tem início, então, ao trabalho de fortalecimento com ênfase no músculo vasto medial oblíquo que enfraquece bastante quando surgem as lesões meniscais. O trabalho também visa à estabilidade articular do joelho, através de exercícios de coordenação e equilíbrio, seguindo critérios adequados de exigência e dificuldade.

A Fisioterapia sempre irá progredir de acordo com a melhora das dores do paciente, intensificando o trabalho à medida que as manifestações dolorosas diminuam. O objetivo sempre será o bem-estar do indivíduo, ajudando-o a retornar, gradualmente, às atividades do dia-a-dia, inclusive, de práticas esportivas.

Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia

Tecnologia do Blogger.