Estabilização segmentar fortalece os músculos profundos da coluna







Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 85% da população mundial apresentará pelo menos uma crise de dor lombar durante a vida, e 70% desses pacientes sofrerão nova crise após um ano. Tendo como principal objetivo reduzir recaídas em longo prazo, a Estabilização Segmentar Vertebral (ESV) é um método que consiste no re-treinamento do Sistema Muscular através de controle motor para a musculatura estabilizadora da coluna.


A lombalgia é considerada uma das causas de incapacidade temporária ou definitiva do trabalho. Um dos principais fatores para a dor lombar é a instabilidade segmentar, e para manter a estabilidade é necessário a integração de três subsistemas: coluna vertebral (passivo), músculos da coluna vertebral (ativo) e controle neural

No tratamento de lombalgias, por exemplo, exercícios tradicionais de fortalecimento dos músculos abdominais e extensores do tronco tem sido alvo de críticas por submeter à coluna vertebral a altas cargas de trabalho, aumentando o risco de uma nova lesão.

Estudos recentes comprovam a eficácia da estabilização segmentar como tratamento para a lombalgia, sendo menos lesiva por ser realizada em posição neutra. Pesquisas sugerem que, sem a ativação correta dos estabilizadores profundos do tronco, as recidivas do quadro álgico são notadas com muita frequência.

O programa de exercício de estabilização segmentar vertebral promove contração da musculatura profunda (músculo multifídio lombar e transverso do abdome) e atua diretamente no alívio da dor. Se comparados com tratamentos tradicionais, apresentam menores índices de recidivas.

A estabilidade vertebral é definida como a habilidade de controlar movimento e prevenir movimentos indesejáveis da coluna.

Esta estabilidade é realizada pelos músculos profundos, principalmente, os multífidos e transverso do abdômen.

Quando a coluna vertebral está lesionada, estes músculos não respondem e o corpo se adapta, utilizando musculaturas dinâmicas, responsáveis somente pelo movimento do corpo e não pela estabilidade.

É necessário o recondicionamento destes músculos profundos para gerar proteção novamente.

A técnica fortalece a musculatura profunda, que ajuda a dar estabilidade e boa postura, trazendo ao paciente a própria redução ou resolução da dor. Para bons resultados relacionados à dor, em uma sessão já podemos observar a eficácia. No entanto, nos casos voltados à postura e à prevenção temos resultados positivos gradativos, dependendo do caso de cada um, sendo que o paciente melhora semanalmente, até que ele consiga absorver para si a maneira correta de padrão de contração muscular para executar as suas atividades de vida diária (AVDs) e atividades físicas, passando para um momento posterior apenas de correções e manutenção.
 
Outro benefício com o uso da técnica é que não existe limitação para quais tipos de pacientes. É possível trabalhar com idosos e crianças, mulheres e homens, gestantes e pós-parto, sedentários ou atletas, pacientes ortopédicos ou neurológicos. Enfim, para se trabalhar com este método, basta ter um olhar clínico voltado para as necessidades e possibilidades" empolga-se.
 

Você não pode perder:

Atualizações em Reabilitação Cardiopulmonar
eBook de Fisioterapia Hospitalar Completo
Drive Virtual de Fisioterapia

Tecnologia do Blogger.