Tipos e vantagens da Eletroterapia na Fisioterapia







A eletroterapia faz uso de estímulos elétricos com dois objetivos: para interferir na transmissão dos sinais de dor para o cérebro, ou para estimular a contração muscular ao influenciar a atividade elétrica muscular. Para isso, ela estimula músculos e tecidos, fazendo com que eles produzam endorfina, um verdadeiro analgésico natural. A partir daí, as endorfinas são interpretadas pelo cérebro no lugar dos sinais neurais de dor.

A aplicação de correntes elétricas alternadas nos músculos pode, ainda, provocar contrações para prevenir a atrofia muscular e auxiliar no início da recuperação da massa muscular após lesões.

No âmbito estético, os estímulos elétricos são usados para tratar a gordura localizada, promovendo a quebra de gordura, que é, então, eliminada pelo corpo.

O aparelho utilizado e a intensidade da corrente determinam a técnica de eletroterapia aplicada em cada caso.

Tipos

Os tipos de correntes elétricas utilizadas na eletroterapia são:

  • Terapia por estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS)

Consiste na emissão de correntes elétricas pulsadas através da pele, com a finalidade de estimular, excitar ou despolarizar grupos de fibras nervosas participantes do processo de percepção e modulação da dor.

Indicado para controle de dor.

  • Corrente Russa

Essa corrente é definida como a modulação do tempo, na forma de trens de ciclos elétricos de uma corrente alternada contínua de onda senoidal, com uma frequência portadora de 2.500 ciclos por segundo.

É indicada para melhora do desempenho muscular.

  • Corrente Interferencial

Corrente elétrica de baixa frequência e amplitude modulada que resulta da interferência causada pelo cruzamento de duas ou mais correntes de forma senoidal alternadas de média frequência, com diferentes frequências portadoras.

Indicado para analgesia e melhora de desempenho muscular

  • Ondas Curtas

Uso de energia eletromagnética de ondas curtas com objetivo de aquecer tecidos moles profundos.

Indicado para aumentar a extensibilidade do colágeno, diminuir a rigidez articular, alivia dores e espasmos e ajuda na regeneração de tecidos moles.

  • Ultrassom

Energia acústica ou mecânica que atravessa um meio com frequências acima do limite do ouvido humano.

Indicado para tratar várias patologias de tecidos moles, fraturas e feridas.

  • Laser

Emissão de ondas eletromagnéticas, constituída de fótons, trafegando no espaço. A luz laser é monocromática, colimada e coerente. Laser é o nome do aparelho que produz esse tipo de luz.

Indicado para analgesia, para diminuir a inflamação e para estimular a reparação do tecido lesionado.

Os Objetivos da Eletroterapia

Eletroterapia

A eletroterapia tem como objetivo principal ser um aliado no processo de reabilitação do paciente.

O fisioterapeuta utilizará os efeitos da corrente elétrica para conseguir benefícios que vão ajudar no tratamento da patologia.

Independente de qual corrente escolhida todas elas têm um objetivo em comum: produzir algum efeito no local a ser tratado, que é conseguido através de reações do corpo frente ao estímulo elétrico.

Cada corrente elétrica possui objetivos diferentes e estimulam o corpo a produzir reações físicas, biológicas e fisiológicas diferentes.

Cabe ao fisioterapeuta avaliar e escolher qual corrente elétrica é a mais indicada para o tratamento da patologia em questão.

Vantagens e Benefícios da Eletroterapia

A eletroterapia é muito vantajosa no processo de reabilitação pois é um tratamento que pode ser usado na grande maioria dos pacientes (com poucas contraindicações), é um método não-invasivo, não causa dependência, pode ser utilizado todos os dias (várias vezes no mesmo dia, caso seja preciso), não apresenta efeitos colaterais e é totalmente seguro.

Ela pode ser usada nas mais diversas patologias ortopédicas, neurológicas, respiratórias e ginecológicas, sejam elas adultas ou pediátricas.

Além de todas essas vantagens, a eletroterapia traz uma série de benefícios que auxiliam muito no processo de reabilitação. São eles:

  • Controle da dor
  • Diminuição do edema
  • Relaxamento muscular
  • Diminuição de contraturas musculares
  • Auxilia na regeneração dos tecidos moles
  • Estimula a cicatrização óssea em fraturas
  • Melhora o desempenho muscular
Não é de hoje que eletroterapia (também conhecida como eletrotermofototerapia) e fisioterapia caminham juntas. Há muito tempo, a estimulação elétrica é conhecida como uma aliada na luta contra a dor.Para um bom fisioterapeta, saber usar esse recurso é muito importante para o sucesso de vários tratamentos.

Dica boa!

Saiba tudo sobre Laser e outras terapias eletrofotoermoterapêuticas. Curso ONLINE completo com Eletroestimulação Neuromuscular, Laserterapia, Ondas Curtas, Eletroanalgesia, Ultrassom e Terapia Combinada. Conteúdo teórico e prático, 100% em video. Com Prof. Dr. Thiago Fukuda e a organização do Instituto CEFISA. Clique aqui e saiba mais!


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.