Saiba mais sobre a Reabilitação Vestibular








O equilíbrio corporal depende da integridade do sistema vestibular (labirinto, nervo vestibulococlear, núcleos, vias e inter-relações no sistema nervoso central), do sistema somatossensorial (receptores sensoriais localizados em tendões, músculos e articulações) e da visão. O labirinto é responsável pelo equilíbrio e posição do corpo no espaço. Tonturas e/ou desequilíbrio surgem quando algo interfere no funcionamento normal do sistema de equilíbrio corporal, podendo ser de origem periférica e/ou central.

O envelhecimento compromete a funcionalidade do sistema nervoso central em realizar o processamento dos sinais vestibulares, visuais e proprioceptivos, responsáveis pela manutenção do equilíbrio corporal, bem como diminui a capacidade de modificação dos reflexos adaptativos.

Uma das alternativas terapêuticas para o tratamento do idoso vertiginoso é a reabilitação vestibular. Esta ferramenta tem se mostrado importante no tratamento do paciente com desordens do equilíbrio, melhorando a competência e o bem estar na realização de atividades cotidianas e, por conseguinte, sua qualidade de vida3,8.

Os exercícios de reabilitação vestibular / fisioterapia têm a atuação centrada em mecanismos centrais de neuroplasticidade, que é a capacidade das células nervosas estabelecerem novas conexões sinápticas ampliando sua rede neural5.

Dentre seus principais objetivos destacam-se a promoção da estabilização visual, o aumento da interação vestíbulo-visual durante a movimentação da cabeça, a melhora da estabilidade estática e dinâmica nas situações de conflito sensorial, e diminuição da sensibilidade durante a movimentação da cabeça.

Uma avaliação minuciosa é que vai estabelecer exatamente quais os aspectos qualitativos e quantitativos do distúrbio cinético-funcional do sistema vestibular, que pode estar alterado de formas diferentes em indivíduos que apresentam os mesmos sintomas.

Depois de estabelecida a causa exata, uma conduta individualizada deverá ser traçada selecionando os exercícios mais indicados de acordo com a necessidade de cada paciente.

A série de exercícios deverá ser sempre individualizada e adaptada de acordo com a condição do paciente apresentada no momento da avaliação.

A fisioterapia vale-se de aspectos neurossensoriais, a partir do trabalho das aderências, sendo favorecida pela plasticidade neuronal. Ela se baseia em exercícios físicos específicos e repetitivos que visam ativar os mecanismos de plasticidade neural do sistema nervoso central, buscando a compensação vestibular, para que o indivíduo possa realizar mais perfeitamente possível as atividades do dia a dia, que estava acostumado a fazer antes da tontura.

A reabilitação vestibular facilita a adaptação para substituir ou alterar a função vestibular, melhora a estabilidade da marcha (incluindo controle cinético em resposta a perturbações mal antecipadas), melhora dos sintomas desencadeantes pelo movimento, corrige dependências exageradas (seleção sensorial inapropriada) do sistema visual e somatossensorial, facilita o retorno normal das atividades de vida diária e melhora ou restaura a condição neuromuscular.

A reabilitação vestibular, através da cinesioterapia, tem sido evidenciada por agir fisiologicamente sobre o sistema vestibular, sendo um recurso terapêutico pela sua proposta de atuação baseada em mecanismos centrais de neuroplasticidade conhecidos como adaptação, habituação e substituição para obtenção da compensação vestibular.

A cinesioterapia vestibular visa diminuir a tontura e a instabilidade corporal e tem se mostrado importante e efetiva estratégia no tratamento do paciente com desordens do equilíbrio corporal, melhorando a competência e o bem-estar na realização de atividades do dia a dia e proporcionando uma acentuada melhora na qualidade de vida.

Os exercícios de reabilitação vestibular (RV) visam melhorar a interação vestibulovisual durante a movimentação cefálica, ampliar a estabilidade postural estática e dinâmica nas condições, que produzem informações sensoriais conflitantes e diminuir a sensibilidade individual à movimentação cefálica.

É cada vez maior o uso da Fisioterapia na forma de reabilitação vestibular. E o resultado é excelente.

Se você é  Acadêmico ou Profissional de Fisioterapia , o Curso Online de Reabilitação Vestibular é feito pra você.

Com o curso, o fisioterapeuta estará apto a avaliar as disfunções do sistema vestibular, além de saber interpretar os exames, conhecer a anatomia do sistema vestibular e saber avaliar quando o paciente tiver algum déficit de equilíbrio. Clique aqui e saiba mais!


Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.