Relação da Terapia Manual com a Fisioterapia









Muita gente considera a Terapia Manual uma subespecialidade da Fisioterapia Traumato-Ortopédica. Usada para atuar na prevenção, essa técnica terapêutica também é utilizada no tratamento e na manutenção da saúde musculoesquelética.

A relação da Terapia Manual com a fisioterapia é muito íntima. Tão íntima que há profissionais que só atuam usando a Terapia Manual.

Dentre elas temos as terapias manuais ,como a Osteopatia, Quiropraxia, e outras menos conhecidas pelo público: Maitland Concept e Mulligan. Mesmo variando a forma de aplicação e o meio para chegar ao resultado final, todas as técnicas de terapia manual apresentam um objetivo comum que é o reestabelecimento da mecânica articular e/ ou miofascial , alivio da dor e melhora da função do indivíduo.


Estas técnicas atuam no restabelecimento da mecânica articular através de estímulos mecânicos que promovem o ganho de mobilidade do segmento de trabalho, inputs neurais que diminuem a sensibilidade do cérebro aos estímulos de dor e estímulos proprioceptivos que melhoram o sinergismo de movimento e função muscular na região trabalhada.

São indicadas para o alívio de dores agudas em que o movimento controlado é benéfico para redução da dor e edema, reduzindo a inflamação. Em lesões crônicas, que a falta de mobilidade articular, limita o movimento e função segmentar, gerando compensações e sobrecargas em outros seguimentos. São muito utilizadas para a reabilitação de disfunções da coluna, como lombalgias mecânicas, hérnias, além de lesões de ombro, cotovelo e mãos, osteoartrose, pós-operatório de joelhos, quadris e pés, contusões, distensões e melhora funcional para reeducação postural. Quando associadas a outras ferramentas do arsenal terapêutico, a terapia manual acelera a reabilitação, permitindo o início precoce do treinamento muscular e atividades funcionais.

É consenso que os recursos terapêuticos manuais permitem ao fisioterapeuta avaliar e sentir melhor os movimentos e a qualidade deles, assim como a melhor palpação dos tecidos musculoesquelético.  A abordagem é encarada de maneira positiva pela maioria dos pacientes, que se sentem mais confortáveis diante das técnicas manuais.

Porém, não basta o conhecimento da técnica adequada se não há indicação correta sobre em qual ocasião aplicá-la. Surge, nesse contexto, a importância da avaliação físico-funcional criteriosa, visando o todo do paciente, buscando compensações locais e à distância, disfunções locais e globais. Em suma, uma boa conduta fisioterápica empregando técnicas de terapia manual dependerá, necessariamente, de uma boa e bem fundamentada avaliação fisioterapêutica.

Para concluir, a Terapia Manual é uma área de especialização da Fisioterapia que lida com o manejo de condições neuro-músculo-esqueléticas, usando técnicas de tratamento altamente específicas incluindo abordagens manuais (uso das mãos do Fisioterapeuta) com ou sem auxílio de ferramentas.

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.