Sintomas da lesão da medula espinhal






http://www.atribunamt.com.br/wp-content/uploads/2014/12/cerebro.jpg

A medula espinhal passa pelo pescoço e pelas costas e é protegida pela coluna vertebral, que fornece suporte para o tronco e outras estruturas ao redor. A medula espinhal é cercada, também, pelos chamados discos vertebrais, que servem como amortecedores ao caminhar, correr ou saltar. É graças a esses discos, também, que a espinha pode ser flexionada ou estendida.

A medula espinhal é parte fundamental do sistema nervoso central, composto também pelo cérebro. Aqui, o cérebro funciona principalmente para receber impulsos nervosos da medula e de nervos cranianos. Já a medula contém os nervos que transportam mensagens neurológicas do cérebro para o restante do corpo.

Os sinais e sintomas de um traumatismo da medula espinhal variam dependendo da localização e da gravidade da lesão. Um traumatismo completo da medula espinhal resulta numa perda total da sensibilidade e da capacidade para o indivíduo se mover que ocorre aproximadamente abaixo do nível da lesão. Por exemplo, uma pessoa lesada a meio do pescoço irá perder a sensibilidade e será incapaz de se mover abaixo do meio do pescoço. Quase metade das lesões da medula espinhal são completas e caso ocorram na parte superior do pescoço podem comprometer a capacidade para respirar e exigir que a pessoa tenha de recorrer a um ventilador mecânico para sobreviver.

Alguns sintomas são comuns, independentemente do local da lesão, eles são:

  • Perda do controle normal do intestino e da bexiga (com possibilidade de ocorrer constipação, incontinência urinária e espasmos na bexiga)
  • Dormência
  • Alterações sensoriais
  • Espasticidade (aumento do tônus muscular)
  • Dor
  • Fraqueza e paralisia.
Outras alterações que podem acompanhar uma lesão da medula espinhal incluem a dor ou a pressão no pescoço, na cabeça ou no dorso, bem como uma equimose e edema significativos da pele ao nível da área lesada.

As lesões de um lado da medula espinhal ou da sua zona central irão produzir padrões de sinais/sintomas característicos, tais como uma fraqueza ou paralisia dos braços ou das pernas ou de um dos lados do corpo. Numa pessoa traumatizada que está inconsciente, o grau da lesão neurológica pode ser difícil de avaliar, pelo que os médicos devem manter um grau de suspeição elevado relativamente à possibilidade de ter ocorrido uma lesão da medula espinhal e tomar medidas para proteger esta estrutura. Isto é geralmente conseguido através da utilização de um colar cervical rígido para imobilizar o pescoço ou através da imobilização da pessoa, colocando-a num plano rígido para poder ser transportada.

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.