Consequencias de uma artrose no tornozelo







CONSEQUENCIAS DE UMA ARTROSE DE TORNOZELO
05:37 FAÇA FISIOTERAPIA






> inShare






A designação de osteoartrose ou osteoartrite do tornozelo é uma doença reumática por desgaste dessa articulação que traz muitos problemas para quem sofreu um acidente ou uma torção do tornozelo e não cuidou do problema no estágio inicial. Alem dos exames de imagem radiografia, tomografia, ressonância magnética agora existe um exame que avalia a função do pé e tornozelo de uma maneira biomecânica mais objetiva usando a pedobarografia dinâmica.

Leia também

Tabagismo e doenças pulmonares
Saiba mais sobre o Neuroma de Morton
Testes para coluna vertebral
Alongamento por estimulacao eletrica
Tecido Conjuntivo e Fascia

M Horisberger e colaboradores , ortopedistas da Universidade de Basel, Suíça exploraram as características da distribuição da pressão plantar em uma em 120 pacientes (mulheres: 54; homens: 66) sofrendo de osteoartrite do tornozelo pós-traumática de estágio final .

O exame clínico consistiu de uma avaliação do escore de retropé( patê de traz do pe) da American Orthopaedic Foot and Ankle Society, um escore de dor, a amplitude de movimento para flexão plantar e dorso-flexão e o índice de massa corporal. Parâmetros radiológicos incluíram o alinhamento tíbio-talar ( tíbia e calcanhar)radiológico e a classificação de osteoartrite do tornozelo radiológica. Os parâmetros da distribuição da pressão plantar foram avaliados utilizando pedobarografia dinâmica.

A comparação intra-individual comparando o pé afetado e o oposto revelou diferenças significativas para vários parâmetros: a força máxima e a área de contato foram diminuídas em todo o pé com osteoartrite. A pressão de pico na área de retropé e dos dedos foi diminuída também. Nenhuma correlação pôde ser encontrada entre os dados da pedobarografia e os parâmetros clínicos, tais como o escore de retropé, o escore de dor e a amplitude de movimento. Entretanto, os resultados indicaram uma correlação positiva entre os parâmetros da dorso-flexão e os da pedobarografia.

Os autores concluíram que a osteoartrite do tornozelo pós-traumática de estágio final leva a alterações significativas na distribuição da pressão plantar e que isso poderia ser interpretado como uma tentativa do paciente de reduzir a carga de sustentação de peso no tornozelo doloroso. Afirmaram ainda que outras explicações incluem a deformidade óssea e o mau-alinhamento do tornozelo, como uma consequência tanto do trauma inicial quanto do próprio processo degenerativo, atrofia por desuso de músculos circundantes relacionada à dor ou cicatrização de tecido mole.

Fonte

Quer anunciar neste blog?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui

Quer sugerir uma pauta?
Mande uma mensagem no Whatsapp clicando aqui ou um email clicando aqui


Você não pode perder

Cursos de FISIOTERAPIA para mudar sua carreira:

Tecnologia do Blogger.